Como planejar uma aposentadoria tranquila

Laís Ortiz

Já reparou que a previdência tradicional dá mais sinais de falência a cada dia que passa? Não corra riscos. Saiba como planejar uma aposentadoria tranquila.

Não precisa nem ser grande entusiasta das editorias de política para perceber que a Previdência Social tem sido um assunto polêmico no Brasil. Cada vez se fala mais sobre a ineficiência do método de aposentadoria tradicional e principalmente sobre como modelo se tornou insustentável nos últimos anos.

Este declínio do sistema se deve principalmente ao aumento da expectativa de vida no Brasil, que fez com que o número de beneficiários e inativos aumentassem em ritmo superior à quantidade de pessoas ativas que mantém, por meio de seus impostos, o benefício da previdência social pública.

O cenário é tão grave que a expectativa de órgãos como o IBGE é que a chamada pirâmide da previdência deixe de existir de modo funcional em 20 anos, fato que fez muita gente começar a prestar atenção na opção de previdência privada.

A hora de planejar sua aposentadoria é agora

É natural do ser humano pós moderno, não se preocupar com o futuro. Afinal, soaria um tanto quanto mórbido acordar todos os dias questionando e se preocupando com a inevitável morte e velhice, certo? Ainda mais com a tecnologia em plena ascensão, esta sensação de imediatismo em paradoxo com nosso tempo de vida, nos causa uma falsa sensação de que “ainda temos tempo”. Mas será que temos mesmo?

Você já ouviu falar na história de Jorginho Guinle?

Carros, casas, viagens, jóias, mulheres e tudo que habita o imaginário de muita gente que apenas sonha com riqueza, foi durante anos a realidade luxuosa do milionário carioca, Jorginho Guinle, que viveu com muita ostentação e zero planejamento. Durante seus 88 anos de vida, Guinle gastou cerca de 100 milhões de reais e morreu em total falência financeira, chegando a morar de favor no final de sua vida.

Jorginho, não pensou no futuro de suas finanças. E é claro que a vida dele foi um exagero financeiro até para os padrões mais altos. Afinal, quantos herdeiros milionários você conhece hoje em dia? Mas quando trazemos para nossa realidade, fica um pouco mais palpável entender que cometer esse erro, não é tão difícil assim.

Por exemplo, no último mês, quanto do seu salário você conseguiu poupar? Ou mais, quantos amigos você tem que estão em constante aperto sem nenhum fundo de reserva? Por isso, cada vez mais é preciso focar em planejamento financeiro e por que não começar a pensar no tipo de previdência que vai investir?

O tempo de se preparar para o futuro é agora. Saiba agora quais pontos você deve prestar atenção na hora de planejar sua aposentadoria.

Por onde começar a planejar a aposentadoria?

Assim como todo planejamento financeiro , o primeiro passo é analisar seu perfil de consumo. Como você gasta seu dinheiro? Colocar seus gastos na ponta do lápis ou em uma planilha é um hábito? Como estão as divisões entre gastos fixos e variáveis no seu orçamento do mês? E do ano? Perguntas como estas podem ser respondidas com um pequeno período de observação que serão tanto a rota quanto o primeiro passo para seu planejamento.

Além disso, defina metas. Onde e como você deseja viver na sua aposentadoria. Esta hora pode ser muito divertida, afinal, é da sua vida que estamos falando. Inclusive, você pode definir pequenas e grandes metas. Por exemplo, algumas pessoas dirão que é impossível viver com menos de 10 mil reais por mês, já outras acreditam que investir em uma pousada na praia e viver com 3 mil já é a realização de seu sonho de vida.

Perceba quais são suas prioridades, desejos e principalmente quanto tempo você tem para atingir esses objetivos.

Qual a hora certa de se aposentar? 

Pensar em quanto tempo uma pessoa está apta para se aposentar é muito relativo. É preciso levar em conta o comportamento financeiro da pessoa, os objetivos e a perfil investidor de cada um.

Nunca é demais lembrar que quanto menos tempo, mais riscos devem ser tomados para receber retornos de grande rentabilidade. E também, que investimentos de alto rendimento e pouco tempo de retorno são sempre mais arriscados.

Portanto, tenha em mente sempre o paradoxo de tempo x risco. No que você está disposto ou pode investir? Lembre-se que sempre antes de qualquer investimento é preciso ter certeza das condições do investimento e confiança nos intermediários do seu negócio.

Hoje, existem serviços de corretoras e orientadores, que podem ajudar nos investimentos para além das opções tradicionais de bancos, não hesite em buscar conhecimento e recorrer a estes serviços. Eles podem ser a diferença entre um investimento tranquilo e um tiro no pé.

Qual a renda para uma aposentadoria ideal? 

Mas afinal, quanto é um valor recomendável para se aposentar com tranquilidade? Como já discutido, não existe um valor absoluto. Mas existem sim, variáveis que devem ser levadas em consideração no momento de planejar a aposentadoria. Por exemplo, a inflação.

Quando falamos de planejar o futuro financeiro, inevitavelmente precisamos fazer nossos movimentos no presente. Certo? Isso quer dizer que tudo que for feito, independentemente do tipo de investimento, é feito pelos parâmetros financeiros de hoje. Por isso, é muito importante contar com as variáveis de valorização econômica, dentre elas a inflação.

Novamente, nesta parte é importante ter a ajuda de um profissional que conseguirá lhe ajudar a monitorar os índices de flutuação, porém, você pode fazer isso também acompanhando as projeções de especialistas e estudiosos em comparação com os seus rendimentos.

Mas não é só a inflação que precisa entrar na conta. É preciso que você leve em consideração quais gastos terá muito provavelmente. Por exemplo, está nos seus planos ter filhos? E você deseja participar da vida financeira deles até quando? Educação é uma parte cara do plano financeiro familiar.

Tudo deve ser pensado. Até mesmo aquilo que parecer um pouco sonhador demais, afinal, se você mudar de ideia ou a vida não sair como esperado ter um dinheiro a mais para ajudar em novos sonhos não será um problema.

Mão na Massa: guia prático para garantir sua aposentadoria

Na teoria, tudo parece ser mais fácil. A esta altura, não restam dúvidas da importância de planejar, poupar e investir para os próximos anos, certo? Mas afinal, como garantir que o plano de aposentadoria seja realmente eficiente e garanta mesmo o futuro de alguém? Será que apenas guardar seu dinheiro é realmente uma alternativa? Listamos algumas dicas básicas sobre como atingir seus objetivos. Confira!

Separe seus objetivos em longo e curto prazo

Já falamos sobre a importância de definir suas metas, certo? Porém, igualmente importante é definir diante do seu perfil financeiro o que pode ser alcançado a longo e curto prazo, e principalmente, o que você quer atingir primeiro. Por exemplo, imóveis são bens duráveis de alto valor e pode ser conquistado a longo ou curto prazo, vai depender apenas da prioridade dada a você para esse objetivo, caso faça parte dos seus planos, claro.

Para acumular alto capital em pouco tempo, é preciso arriscar mais e pensar em investimentos de curto prazo. Enquanto os objetivos de longo prazo podem passar por um período maior de retorno.

Separe uma quantia mensal para sua aposentadoria

Você está ativo economicamente agora! Enfrente sua aposentadoria, fundo de pensão, previdência privada ou carteira de investimentos como parte de seu orçamento e reserve uma porcentagem de sua renda para esse fim.

Alguns especialistas, como André Massaro, colunista do portal da Exame, o ideal é todas as suas despesas não ultrapassem 70% dos seus rendimentos totais. Portanto, 30% da sua renda deve ser poupada. Sendo que 20% deve ser destinada para sua aposentadoria.

É claro que sabemos que nem sempre isso é tão fácil, por isso, não se apegue a valores, mas tente seguir ao máximo essa proporção para conseguir ter uma reserva emergencial e também um valor para gerenciar sua aposentadoria.

Considere investir, não apenas poupar

Culturalmente, o brasileiro segue a opção de guardar dinheiro e optar pela poupança tradicional em bancos para guardar o dinheiro que será utilizado em sua aposentadoria. Ou como complementador de renda ao que receberá do INSS, ou para financiar imóveis e outros negócios. Mas será que essa é mesmo a melhor opção?

A poupança é realmente um investimento de baixo risco e rentabilidade fixa, porém, não acompanha as variáveis, como a inflação, por exemplo. E por isso, se mostra insuficiente como única opção para sua aposentadoria.

Você sabia que existem outros tipos de investimento que também são amparados pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) e que podem te dar uma rentabilidade bem maior no mesmo tempo de investimento?

Considere outras opções para diversificar seus investimentos e garantir maior rentabilidade e mais de uma fonte de renda. Com a entrada de corretoras, consultorias e a democratização da informação, o mercado financeiro ficou bem mais acessível e é uma opção viável a todas as classes sociais. Não fique somente no tradicional, diversifique seus investimentos!

Portanto, informe-se e principalmente, se una a profissionais de confiança, com pensamento estratégico e visão total do mercado para garantir que o seu trabalho de uma vida toda seja valorizado na hora da sua aposentadoria.

Simplicidade, rentabilidade e segurança.

Descubra como é fácil investir com a Monetus.

Comece agora

Deixe o seu comentário