Crédito privado: O que é e vale a pena investir?

Luiza Andrade

Debêntures, CRI, CRA, fundos de investimento etc. Estes termos não costumam ser os primeiros que vêm a mente das pessoas quando falamos sobre investimento. Porém, eles são parte essencial do que chamamos de crédito privado.

Mesmo que uma forma de investimento menos conhecida do que os Títulos Públicos, como o Tesouro Direto, os créditos privados são também uma forma de você investir seu dinheiro. Mas, afinal,  o que significa exatamente créditos privados? E o mais importante: vale a pena investir?

Para te responder estas perguntas e auxiliar em seus investimentos ou planos de investir, elaboramos este texto explicando tudo que você precisa saber sobre o assunto. Continue lendo!

O que é crédito privado?

Os créditos privados nada mais são do que papéis/certificados/títulos emitidos por empresas que podem ser comprados por você. De um lado está a empresa que emite o crédito privado e do outro está o investidor que pode comprá-lo direta ou indiretamente.

Mas, por que as empresas emitem tais créditos? Existem várias formas de uma empresa privada procurar recursos para seu desenvolvimento e o crédito privado é uma delas. Assim, o investidor estará comprando créditos relativos às necessidades de capital e às dívidas dessas empresas.

O que a empresa ganha já está claro, mas o que,  você, investidor, ganha neste tipo de investimento? Primeiramente, você deve saber que os créditos privados são investimentos de renda fixa. Os detalhes dos lucros vão variar, podendo a rentabilidade ser pré ou pós fixada. Ou seja, você pode saber previamente quanto poderá ganhar ou não, dependendo de variações de indicadores como CDI ou IPCA por exemplo. no caso de créditos pós fixados.

Assim, cada tipo específico de crédito privado, como veremos a seguir brevemente, terá suas características específicas. Listamos alguns exemplos para que fique mais claro enxergar as vantagens e desvantagens e se vale a pena ou não investir:

Debêntures

Muitas vezes, as empresas privadas evitam os empréstimos bancários quando buscam dinheiro devido às altas taxas cobradas pelas instituições bancárias. Nestes casos, surge a possibilidade de emitir debêntures. Para o investidor também é um bom negócio, na medida em que a rentabilidade é, geralmente, superior aos chamados títulos públicos.

As debêntures podem ser:

  1. Simples: quando a rentabilidade de sua debênture é paga em dinheiro em sua conta corrente
  2. Conversível: quando você recebe por meio de cotas da empresa.

Fica a dica, também, para as debêntures incentivadas que possuem isenção de imposto sobre operação financeira de impostos.

CRI e CRA

São os Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) e Certificado de Recebíveis de Agronegócio (CRA). Neste caso, basicamente o investidor está investimento seu dinheiro para que uma empresa se desenvolva.

Porém, ao contrário da debênture, você não investe diretamente na empresa. Isso ocorre, pois existe uma parte diferente neste investimento: o intermediário ou securitizadora. Esta parte repassará o dinheiro para a empresa.

Além disso, também conta estes certificados com isenção de impostos, como IOF e IR e outras taxas atrativas.

FIDC

Muitas vezes as empresas têm ativos a receber, ou seja, dívidas de vários tipos que serão pagas para ela, como a cheques, duplicatas e etc. Estas dívidas são chamadas de Direito Creditórios. Por que isso é importante? Pois, é justamente nos direitos creditórios que os Fundos de Investimentos de Direito Creditório (FIDC) visam investir.

Assim, o fundo assume a dívida, mas pagando um valor menor e imediato a empresa. Nesta operação, lucra caso o devedor da empresa pague corretamente o que deve.

Vantagens do crédito privado

Conhecendo os tipos de créditos privados, vamos analisar, primeiramente, suas vantagens. Claro que, como vimos, cada tipo de crédito privado irá possuir suas especificidades. Mas, de modo geral, suas vantagens são:

  • Mais rentável que Títulos Públicos quando as taxas de juros estão em baixa: Quando taxas como a SELIC e o IPCA, por exemplo, estão baixas, os investimentos em títulos públicos não se tornam vantajosos. Assim, os créditos privados podem ser uma boa solução.
  • Risco reduzido quando comparado ao investimento em ações: Todos sabem das frequentes oscilações do mercado de ações e como pode haver grandes riscos de prejuízos quando o investidor utiliza mal o seu dinheiro. Nos créditos privados, o risco é relativamente menor. 
  • Possibilidade de isenção: Em alguns casos, como nas debêntures incentivadas, CRI e CRA, você pode investir com isenção de diversos impostos.
  • Possibilidade de garantias elevadas: Ocasionalmente, os créditos privados oferecem garantias que podem até cobrir integralmente seu investimento.
  • Existência de ratings das empresas:  Ratings são notas que algumas empresas especializadas dão para as empresas, para que você saiba os riscos que está correndo ao investir. Caso a nota da empresa seja alta, o risco de, por exemplo, sua debênture não ser paga se reduz, pois a empresa é estável.

Desvantagens do crédito privado

O mesmo dito as vantagens vale também para as desvantagens. Podemos listar, resumidamente:

  • Ausência do FGC: Em alguns investimentos, como nos títulos de emissão bancária, existe o FGC: Fundo Garantidor de Crédito. Este fundo irá assegurar até o valor de R$ 250.000,00, para cada instituição financeira, os possíveis prejuízos do investidor. Porém, o FGC não se aplica nos casos de investimentos em créditos privados. Ou seja, caso algo dê errado em seus investimentos , o Fundo não irá te salvar.
  • Não garantia de pagamento pelo governo: No caso de investimentos em Títulos Públicos, você estará investindo diretamente no Governo. Consequentemente, ele lhe garantirá o pagamento.
  • Relativos altos investimentos: Em alguns casos, os investimentos iniciais podem ser bastante elevados para o investidor que não dispõe de muito capital.
  • Dependência do equilíbrio econômico das empresas privadas: Como vimos, estes investimentos, direta ou indiretamente, serão utilizados no setor privado. Isto abre o risco para possibilidades de falências e demais problemas deste setor ao seu investimento.

Então, vale a pena investir em crédito privado? 

Com essas informações, você está pronto para saber se os créditos privados são a melhor alternativa para você ou não! Como vimos, existem vantagens e desvantagens para este tipo de investimento.

Mas, o importante a ser lembrado é que pode valer a pena investir no crédito privado dependendo do seu perfil de investidor e também de seu capital disponível. Os créditos privados, mesmo apresentando maior insegurança que os títulos públicos e não tendo o FGC, se devidamente analisados, podem ser mais seguros que o mercado de ações e ter boa rentabilidade.

Assim, cabe ao investidor, ou a quem administra seus investimentos, avaliar corretamente o momento do mercado para obter cada vez mais sucesso!

Simplicidade, rentabilidade e segurança.

Descubra como é fácil investir com a Monetus.

Comece agora

Deixe o seu comentário