O que é preciso saber antes de fazer um empréstimo?

Luiza Andrade
                 

Se você não tem milhões sobrando na conta neste exato momento, sabe muito bem que os imprevistos da vida podem nos pegar de surpresa. Uma cirurgia inesperada, um carro quebrado, uma oportunidade de viagem ou um negócio imperdível: para situações como estas, o empréstimo pode ser a solução!

Porém, para que seu empréstimo não se transforme em uma “bola de neve”, você deve ter cautela. E para te ajudar, vamos explicar tudo que você precisa saber antes de fazer um empréstimo, com segurança e responsabilidade.  

Vamos lá?

Tipos de empréstimos e as suas características

Vamos te ensinar os tipos de empréstimos e suas características para que você saiba qual se encaixa melhor no seu perfil. Cada um dos tipos de empréstimos apresenta características próprias, vantagens e desvantagens:

    1. Consignado: Destinado a pessoas que possuem carteira assinada, funcionários públicos e pensionistas do INSS. Isto se deve ao fato de que o valor do pagamento mensal é descontado diretamente em folha (No máximo de 30% do valor do salário ou aposentadoria). Possuem taxas de juros bem menores que os outros.
    2. Rotativo: Está ligado ao uso do cartão de crédito, apresentando altíssima taxa de juros. Quando você não realiza o pagamento integralmente o pagamento de sua fatura, o banco automaticamente te empresta esse dinheiro. 
    3. Por cheque-especial: Neste tipo, o banco disponibiliza um limite extra em sua conta corrente. Mesmo apresentando a vantagem de poder ser utilizado de forma rápida e a qualquer momento, também apresenta taxas de juros altas. 
    4. Pessoal: Tipo de empréstimo realizado por meio de um contrato com um banco ou agência financeira após uma avaliação completa de documentação. As taxas de juros podem variar bastante.

Vistos os tipos, vamos agora abordar o que você precisa saber antes de realizar um destes empréstimos:

Objetivo do empréstimo

Para que seu empréstimo não se torne um verdadeiro pesadelo em sua vida, é importante, primeiramente, analisar com cautela sua situação financeira. O primeiro passo a se tomar é avaliar o objetivo do empréstimo.

O recomendado é utilizar esse recurso para solucionar situações de emergências ou grandes oportunidades, como gastos médicos ou uma excelente oportunidade de investimento. Além disso, fazer um empréstimo para quitar uma dívida que apresenta taxa de juros maior pode ser uma boa solução.

Porém, gastos pessoais com coisas recreativas, como viagens, carro e roupas novas, pode não ser um bom motivo para fazer um empréstimo.

Portanto, o objetivo do empréstimo é essencial na hora da decisão, além de analisar se é a melhor saída para sua situação e qual tipo adquirir.

Planeje o pagamento

Observado que o empréstimo é a melhor solução, tenha em mente que você está adquirindo uma dívida, e deve pensar em como sair dela. Portanto, siga essas dicas:

  • Mapeie todos os seus gastos. É muito importante que você tenha controle de todas as suas despesas. Dessa forma, você consegue saber quanto sobra para pagar as mensalidades do empréstimo.
  • Fique atento para os gastos que podem ocorrer num futuro próximo. Por exemplo, se sua filha está entrando na faculdade, saiba que gastos extras surgirão. Portanto, tenha isso em mente.
  • Avalie quais gastos podem ser cortados ou adiados. Se existe algum gasto em sua lista que não é essencial, corte-o em caso de urgência do empréstimo.

Este planejamento é essencial, já que o atraso ou o não pagamento de uma das mensalidades do empréstimo pode gerar um aumento considerável da sua dívida.

Fique atento à taxa cobrada

Sabemos muito bem que os juros sobre juros dos empréstimos são capazes de aumentar exponencialmente sua dívida. Todo empréstimo adquirido, independentemente do valor, terá uma taxa. Esta taxa refere-se ao valor cobrado pela disponibilização do dinheiro por quem empresta como, por exemplo, o banco.

Como já vimos, os tipos de empréstimo influenciam bastante nas taxas cobradas. Porém, elas também variam dependendo da agência financeira ou banco que está te emprestando. Portanto, aqui vão algumas dicas:

  • Saiba exatamente qual é a taxa do seu empréstimo. Mais do que apenas as taxas de juros, saiba o Custo Efetivo Total (CET). Este custo inclui todas as possíveis despesas e gastos do seu empréstimo, como os juros e impostos.
  • Fique atento às taxas com porcentagens muito abaixo do mercado, principalmente de instituições desconhecidas. Desconfie sempre, pois pode se tratar de um golpe.
  • Leia atentamente o contrato. As famosas letras miúdas podem te surpreender depois. Portanto, é melhor ter atenção antes de assinar qualquer documento.
  • Pesquise a melhor opção entre as agências financeiras e bancos disponíveis. Como já mencionado, as taxas e o CET podem variar.

Agora que você já sabe quais são os tipos de empréstimos  existentes, como organizar previamente suas contas e gastos e como avaliar as taxas cobradas, você está preparado para adquirir um empréstimo com segurança. Tenha sempre todas as dicas em mente!

Simplicidade, rentabilidade e segurança.

Descubra como é fácil investir com a Monetus.

Comece agora

Deixe o seu comentário