Dividendos: o que são e como funcionam?

Gabriel Meirelles
           

Os dividendos são uma importante forma de investimento que gostaríamos de apresentar a você. Existem grandes investidores que fizeram fortuna investindo em empresas sólidas e que são boas pagadoras de dividendos.

Nesse texto vamos apresentar conceitos e tentar lhe ajudar a entender o porque desses grandes investidores, entre eles alguns dos homens mais ricos do mundo e também do Brasil, prestar tanta atenção nessas empresas. Vamos discorrer abaixo sobre os tipos de dividendos, o processo para distribuição, quem tem direito a receber esses valores, como calcular os valores devidos a serem recebidos e como começar a investir em dividendos.

Esperamos que esse artigo possa contribuir em conhecimento e apresentar uma modalidade de investimento que com certeza vai ajudar você a enxergar uma alternativa de investimento valiosa e contribuir para atingir seus objetivos e até sua independência financeira.

O que são dividendos e suas características?

Dividendos são pagamentos efetuados de forma periódica aos acionistas sobre os rendimentos auferidos pela empresa em determinado período. Esses rendimentos podem ser baseados no lucro líquido do exercício, lucros cumulados e de reserva de lucros.

Os acionistas em posse de ações preferenciais, podem também receber sobre reserva de capital. Segundo a lei 6.040/76, os acionistas têm direito a receber dividendos obrigatórios anualmente, na forma estabelecida pelo estatuto da empresa.

Além dos dividendos obrigatórios, a companhia também poderá distribuir dividendos intermediários. Assim, a empresa poderá declarar distribuição de lucros em parcelas de tempo menores.

Quando falamos de dividendos é muito importante ficar atento às datas de pagamento desses proventos. Por isso, o calendário de dividendos é usado, pois diz respeito às datas que o lucro será distribuídos pela empresas. Cada empresa paga proventos de acordo com o que foi estabelecido no estatuto, por isso não existe uma data padrão. Por isso  é uma ferramenta importante para poder se programar quanto à data de recebimento.

Outros conceitos que devem ser conhecidos são sobre as datas que fazem parte do processo de divulgação, registro e lista das pessoas que têm direito a receber os proventos. Abaixo explicaremos como funciona e processo.

Data de declaração

É a data onde a empresa anuncia o pagamento de dividendos e todas as informações referentes ao evento. Nesse evento fica definido o valor a ser pago, data de registro e a data de pagamento.

O conselho de administração deve aprovar o pagamento dos proventos.

Data ex-dividendo

Data de expiração definida para recebimento dos dividendos. Ou seja, é a data limite para adquirir a ação e se tornar elegível para receber os proventos. Investidores que comprarem a ação após a data ex-dividendo não terão direito de recebimento dos valores a serem distribuídos.

Data de registro

É a data onde são listados todos os acionistas que possuem direito a receber os dividendos. Nessa data os nomes são enviados à contabilidade da empresa para que possam ser registrados e assim receberem o pagamento.

Planos de reinvestimento de dividendos(PRD)

É uma opção oferecida por instituições financeiras onde o cliente pode optar por reinvestir de forma automática o valor do dividendo recebido em ações da empresa. Pode ser uma alternativa interessante para aumento de participação na empresa.

Tipos de proventos

Os proventos são uma forma de a empresa remunerar o acionista, a fim de recompensá-lo pela participação na sociedade. Esse pagamento ao investidor pode ser feito em moeda corrente, ações e até mesmo através do direito à condições diferenciadas ou prioritárias no caso de aumento de capital da empresa.

Dividendos

Os dividendos são provenientes do lucro líquido apurado pela empresa no período vigente. O pagamento será conforme o estatuto da empresa e caso esse omita o montante a ser distribuído, a porcentagem não poderá ser menor do que 25% do lucro líquido, conforme estabelecido pela lei das sociedade anônimas. Os dividendos deverão ser distribuídos pelo menos uma vez ao ano caso a empresa tenha lucro.

Bonificação de ações

As ações bonificadas são uma distribuição de ações pela companhia por conta de um aporte de capital. Quando acontece um aumento de capital a empresa pode optar por redistribuir de forma proporcional entre os atuais acionistas. A bonificação pode ser feita também em dinheiro.

Dividendo especial extraordinário

Dividendos extraordinários são distribuídos normalmente em função de algum fato não relativo à atividade da empresa. Isso acontece se a empresa vender um ativo e definir que valor recebido deve ser distribuído entre os acionistas. Normalmente a data de pagamento não tem relação com a dos dividendos ordinários.

Bônus de subscrição

O bônus de subscrição acontece quando a companhia aumenta seu capital e dá preferência ao acionista na compra dessas ações. Esse direito tem um prazo para ser exercido pelo investidor e possui condições pré-acordadas. O preço acordado nesses casos são normalmente inferiores ao valor de mercado do ativo, o que beneficia e se apresenta como uma boa oportunidade.

Juros sobre capital próprio

Juros sobre capital próprio são pagamentos em moeda corrente ao acionista assim como os dividendos. A diferença é que o valor a ser distribuído é considerado despesa financeira, e portanto não é baseado no lucro líquido. O juros sobre capital próprio tem um desconto de 15% de imposto de renda na fonte. Para as empresas pode ser uma alternativa de distribuir o lucro e ainda diminuir a tributação sobre o lucro da companhia, uma vez que com a dedução desse valor na forma de JSCP o lucro líquido será menor.

Vantagens de investir em boas pagadoras de dividendos

As empresas boas pagadoras de dividendos estão sempre no radar de grandes investidores e aqui vamos falar sobre alguns dos motivos. Empresas que pagam bons dividendos e de maneira constante, costumam ser empresas bem sólidas e lucrativas visto que o valor a ser distribuído é baseado no lucro da empresa. Além do rendimento de dividendos, como em qualquer ação, é possível obter lucro com a valorização do ativo.

Por apresentarem grande solidez, as ações dessas empresas tendem a se valorizar de forma constante e por isso são uma excelente alternativa para investimento de longo prazo. As vantagens destacadas leva algumas dessas empresas que possuem essas características a serem chamadas de cash cows. Essa metáfora é usada nos Estados Unidos para comparar as empresas à vacas, que produzem leite ao longo da vida e não demandam tanto manejo.

É possível viver de dividendos?

Sim, é possível viver de dividendos. Porém algumas coisas devem ser analisadas para que isso seja possível. Primeiro é necessário verificar o quanto se quer ganhar. Assim, o investimento deverá ser proporcional, de forma que o valor dos proventos distribuídos possa atender ao planejamento. Outra coisa importante é como realizar a programação da carteira de dividendos. Uma vez que as empresas pagam os proventos de acordo com estatuto, não possuem um padrão definido.

Assim, o investidor deve ficar atento à periodicidade em que a empresa escolhida paga os dividendos para programar as datas de recebimento. Dito isto, se o investidor escolhe empresas que pagam proventos uma vez por ano, então sua carteira deveria conter 12 empresas com pagamento dos proventos em meses diferentes.

Existem empresas que possuem histórico de distribuição de lucro em períodos menores, os chamados dividendos intermediários e assim não seria necessário investimento em tantas empresas. Por isso, é importante que se pesquise as empresas corretas a fim de ter um recebimento mensal de proventos e assim poder viver de renda.

Como calcular dividendos

O total de dividendos distribuídos pela empresa é sempre proporcional a participação do investidor.

As mensurações de dividendos por ação e dividend yield são as mais usuais pelo mercado. Aqui vamos apresentar como realizar esses simples, mas importantes cálculos.

Dividendos por ação

Dizem respeito ao valor a receber por cada ação. Esse cálculo leva em conta basicamente o número de açõesda empresa no mercado e o valor total a ser distribuído como dividendo ou JSCP.

Dividend Yield

O dividend yield diz respeito à porcentagem a ser recebida em relação ao valor da ação. É muito usado para análise de pagamento de dividendo da empresa. Uma empresa que tem um histórico consistente de dividend yield se torna mais confiável quanto ao pagamento de dividendos e por isso é mais valorizada. Esse cálculo leva em conta o valor encontrado de dividendos por ação, encontrado anteriormente, sobre o valor da ação na data em que o dividendos é distribuído.

Como investir em uma carteira de dividendos?

Para investir em dividendos é necessário possuir conta em uma instituição financeira autorizada pela CVM. Após realização do cadastro e abertura da conta, você já estará apto a escolher as empresas que deseja investir.

O planejamento de uma carteira de dividendos é primordial para programar o período de recebimento e o valor  necessário para satisfazer os seus objetivos. Por isso, o papel da gestora de investimentos é muito importante nesse processo. Dados os avanços tecnológicos, as empresas financeiras estão revolucionando o mercado e promovendo um processo de “desbancarização” ao apresentar melhores condições e uma forma diferente de tratar o mercado. Nós da Monetus, ficamos orgulhosos em dizer que fazemos parte disso. Marque uma conversa com nossos assessores especialistas para te ajudar nessa tarefa e ficaríamos honrados em lhe ajudar nesse projeto.

Esperamos que esse texto possa acrescentar no entendimento de como os dividendos funcionam. Caso possamos ajudar em algo mais, entre em contato conosco. Sinta-se à vontade para comentar abaixo.

Deixe o seu comentário

Simplicidade, rentabilidade e segurança.

Descubra como é fácil investir com a Monetus.

Comece agora