Fundos de ações: Entenda tudo sobre e se vale a pena investir!

Lucas de Lima
                 

Fundos de ações: Entenda tudo sobre o funcionamento desse investimento e se vale a pena investir!

Você está na dúvida sobre onde investir mas não tem muito conhecimento sobre o mercado para gerir sua própria carteira? Procura um investimento que não gaste muito do seu tempo e promete retornos maiores do que a renda fixa? Já ouviu falar dos Fundos de Ações?

Quer além disso correr um risco controlado e saber que seu patrimônio investido está sendo gerido por profissionais experientes e focados em crescê-lo? O fundo de ações pode ser uma ótima alternativa para você aproveitar grandes oportunidades que podem entrar como renda variável na sua carteira de investimentos.

O Fundo de Ações é uma das opções na hora de investir na bolsa de valores. Uma característica marcante é que com esse tipo de investimento não se compra diretamente ações de empresas. Com isso, este tende a possuir uma maior segurança se comparado a aplicar de forma independente o seu dinheiro.

Porém é preciso realizar uma avaliação criteriosa antes de escolher seu fundo e se tornar um cotista. Existem Fundos de Ações que possuem uma carteira com riscos elevados ou rendimentos pouco atrativos.

Dito Isso, vamos abordar nesse artigo tudo o que você precisa saber para começar a investir hoje mesmo nessa aplicação, abordando desde as principais características do Fundo de ações, seus custos, rentabilidade, tributação, até nas suas vantagens e riscos do seu investimento.

Espero que a leitura desse conteúdo possa contribuir na sua tomada de decisão, e ajude a otimizar a sua vida financeira. Caso exista alguma dúvida ao final da leitura, fique a vontade para a vontade para comentar no artigo que eu terei o maior prazer em lhe responder.

O que são os fundos de ações?

Em síntese, o Fundo de ações pode ser definido como uma carteira de ativos de renda variável. Além disso é considerado um fundo mútuo onde diversos investidores participam, denominados cotistas.

Os cotistas investem uma certa quantidade e com isso ganham direito ao lucro obtido pela fração correspondente a suas ações pertencentes ao fundo.

Em outras palavras, quando uma cota do fundo de ações é comprada, o comprador passa então a investir em diversas empresas ao mesmo tempo. A cota na verdade é um pacote que engloba frações dessas ações.

O grupo de ações do fundo são selecionados por uma equipe profissional do mercado e é administrado por um banco ou por uma empresa.

Eles são uma das formas mais práticas e fáceis de investir na bolsa de valores, uma vez que você não precisa escolher em quais empresas realizar seu investimento.

Vale ressaltar que Fundo de Ações é um dos tipos de Fundos de Investimentos existentes. Caso você queira saber mais sobre outros tipos de fundos existentes basta acessar esse artigo do nosso blog.

Contudo, é importante entender que é uma forma de investimento variável.

Ou seja, seu lucro é dependente do bom desempenho das empresas que o seu fundo possui ações. O seu lucro será maior à medida que o rendimento das ações aumentarem.

Tipos de Fundos de Ações

Existem diferentes tipos de fundos de ações. Ao escolher em qual tipo investir você deverá levar em conta seu perfil de risco. Sendo eles baixo, moderado e alto.

De acordo com a Anbima, quaisquer fundos de ações devem ter pelo menos 67% da carteira em ações à vista, como certificados de depósito de ações, bônus ou recibos de subscrição, cotas dos fundos de índice de ações, cotas de fundos de ações e Brazilian Depositary Receipts.

Estrátegia

Existem duas formas principais de realizar a gestão do Fundo de Ações, sendo elas a de forma ativa ou a passiva.

Na forma ativa o objetivo definido é a superação de um índice referencial ou simplesmente buscar a valorização dos ativos sem um indicador como referência.

Normalmente é executada uma seleção para compor a carteira com base em um processo de investimento predefinido. Busca-se com essas medidas a execução das políticas do fundo e o atingimento dos objetivos esperados.

A gestão passiva do fundo tem como critério atingir variações similares ao comportamento de um índice de referência da renda variável, como o Bovespa (IBOV) ou o Small Caps (SMLL).

Os fundos de gestão ativa podem ser subdivididos de acordo com a estratégia adotada pelos seus gestores:

  • Valor/Crescimento

  Fundos baseados em buscar um retorno por meio da seleção de empresas que possuem um potencial de crescimento atrativo. Para isso, os gestores do fundo priorizam dentre os ativos do mercado aqueles que são negociados:

  • Abaixo do valor patrimonial estimado (“preço justo”) – Estratégia Valor
  • Com histórico de resultados;
  • Ativos com estimativa contínua de forte crescimento em lucros, receitas e fluxos de caixa em relação ao mercado. – Estratégia Crescimento
  • Setoriais

 Os ativos neste portfólio se aplicam, majoritariamente a empresas que pertencem a um mesmo setor ou um conjunto de setores da economia que estão interligados.

No regulamento da sua política de investimento, tais fundos devem ter uma utilização de critérios bem clara para definir os segmentos, setores ou sub-setores que se tornaram a carteira de investimentos. Com isso, o cotista possui um conhecimento maior dos papéis em que o seu dinheiro está sendo investido.

  • Dividendos

 Os fundos de dividendos possuem uma estratégia com foco na geração e aumento da renda. Sendo assim, os principais alvos para investimentos são as empresas que possuem um bom dividend yield (geração de renda dos dividendos) e/ou possuem atrativos históricos de pagamento de proventos.

  • Small Caps

Pelo menos 85% dos ativos mantidos pelos fundos de Small Caps provém de empresas que não estejam na lista das 25 maiores participações do IBrX (Índice Brasil).

Pode-se concluir que o investimento fica concentrado em papéis de companhias com uma menor capitalização e maior potencial de ganhos ou perdas. O restante dos 15% podem ser investidos em ações de companhia com maior capitalização.

  • Sustentabilidade/Governança

 Possuem foco e concentração dos seus ativos em empresas com um gerenciamento de qualidade, ou seja, bons níveis de governança corporativa. Também podem tem o objetivo de investir em papéis de empresas que se destacam pela sustentabilidade no longo prazo e responsabilidade social.

  • Índice ativo

Os fundos de Índice ativo são carteiras que visam obter resultados superando um índice de referência no mercado de ações. Através de deslocamentos táticos em relação à carteira de referência para alcançar suas métricas pré definidas.

  • Livre

Como o próprio nome já diz, os Fundos de Ações Livres não possuem o compromisso e concentração em uma estratégia definida. Com isso, somente o regulamento do fundo é quem especifica suas alocações e atividades no mercado.

  • Indexados

O que define um fundo indexado é o uso de indicadores referência no mercado de renda variável e a replicação dos mesmos.

Para exemplificar, suponhamos que o indicador usado é o Ibovespa. Podemos dizer que os fundos desse tipo tiveram uma alta considerável, quando o Ibovespa ano passado teve uma alta de 38,9%.

  • Investimento no Exterior

O fundo de ações precisa ter um mínimo de 40% do seu patrimônio investido em ativos de capital estrangeiro para entrar nessa categoria.

Fundos de ação abertos

É o tipo de fundo mais conhecido e recorrente no mercado de ações. Por ele ser um fundo de ação aberto, tanto o resgate quanto o investimento nele pode ser feito a qualquer momento.

Outro ponto interessante é que existe a permissão constante para a entrada de novos acionistas, e, também para que um acionista antigo compre mais cotas.

Fundo de ação específico

O Fundo de Ação Específico é classificado com um portfólio divergente dos outros fundos disponíveis, podendo ser subdividido em 2 principais vertentes:

  • Fundos fechados: Este tipo de fundo é composto de carteiras regulamentadas com um período pré-determinado para ser realizado. Apresentando um número fixo de ações, são considerados de condomínio fechado, ou seja, não estão disponíveis para a compra no mercado financeiro. Quem quer se tornar cotista de um fundo desse tipo, já sabe previamente quando deve investir e quando poderá realizar o resgate. Ademais, existe regulações que fazem com que depois de determinado tempo previsto não sejam aceitos mais acionistas nem aumentos no número de ações.

  • Fundos de mono ação: O patrimônio do fundo está diretamente alocado nos ativos de uma única empresa.

Principais características dos Fundos de Ações

Tanto os benefícios quanto os custos dos Fundos de Ações são divididos igualmente entre os cotistas, proporcionalmente à quantidade de cotas de cada um.

Dessa maneira, quando você decide investir em um Fundo de Ações, você aplica o valor que desejar e o rendimento consiste no desempenho de todo o portfólio. Tratando-se de uma carteira de ações, existe uma equipe altamente especializada e um gestor realizando o acompanhamento diário das empresas selecionadas para compor o fundo.

O investidor pode solicitar o resgate das suas cotas a qualquer momento. Nesse sentido, o emissor da cota faz o repasse dos valores investidos e do rendimento recebido no período de participação do fundo com as taxas e tributos já descontados devidamente.

Cálculo da Rentabilidade de um Fundo de Ações

Como o fundo de ações é concentrado em renda variável, a sua rentabilidade não pode ser prevista com exatidão. A renda variável é considerada imprevisível pois caminha junto ao mercado financeiro.

A oscilação da rentabilidade pode ser maior ou menor ao longo do ano, dependendo do tipo do fundo aplicado.

Suponhamos que você realizou um investimento em um fundo de ações por R$ 1.000,00. Esse fundo teve um rendimento de 15% no ano e possui um IR sobre o investimento de 15%. Além disso o fundo cobra uma taxa de administração de 1% ao ano.  Quanto será o seu rendimento líquido no final do ano?

Simples, calculando : 1.000*0,15 = R$ 150,00 de rentabilidade bruta. O desconto do IR ocorre apenas sobre esse valor. Então, 150*0,15 = R$ 22,50.

Ataxa de administração age no montante de R$ 1.150,00. Logo, 1.150*0,01 = R$ 11,50. Assim, o rendimento líquido será de R$ 1.116,00 no ano (R$ 1150,00 – R$ 22,50 – R$ 11,50).

possível saber em quanto o seu investimento está rendendo em determinado período, através do históricos dos ativos que compõem o fundo. Para isso, só é necessário obter o resultado bruto divulgado pela gestão do ativo.

Avaliação dos Custos de um Fundo de Investimento em ações

O investimento inicial médio do mercado fica entre R$1 mil e R$10 mil dependendo do fundo de ações escolhido.

Porém existem boas oportunidades para que você aplique valores mais baixos, como por exemplo o nosso fundo de renda variável o Monetus FI Ações. A aplicação inicial no nosso fundo é de apenas R$100,00. Para saber como a Monetus funciona clique nesse link, Da mesma forma que os lucros, as despesas e custos dos fundos são compartilhados entre os cotistas. Por isso, a diluição dos custos é outro ponto interessante na hora de investir em um fundo de ações.

A diluição dos custos funciona da seguinte forma: caso o administrador do fundo opte por retirar uma empresa da lista de ativos investidos pelo fundo e inserir outra empresa, os custos tanto de venda quanto de compra gerados são divididos de forma igualitária entre os participantes. Com isso, os valores de custo são reduzidos.

Análise de taxas e impostos do fundo de ação

A taxa administrativa é uma das obrigações que devem ser pagas nessa modalidade de investimento. Os valores variam por cada Fundo e alguns podem chegar a cobrar uma taxa de performance pelo rendimento atingido.

O IR cobrado pela Receita Federal para esse tipo de investimento têm a alíquota de 15% sobre o rendimento bruto do fundo. Todavia, para fundos de ações não temos a estrutura de come-cotas, sendo assim a alíquota só é paga quando ocorre o resgate.

Vantagens de investir em fundos Fundos de Ações

Os principais benefícios do fundo de ações podem ser resumidos nos seguintes tópicos:

  • A praticidade do investimento;
  • Facilidade no pagamento do Imposto de Renda;
  • Acompanhamento do mercado diária por profissional que irá definir os papéis que serão comprados com o seu investimento com a maior perspectiva de um retorno positivo;
  • Custos operacionais reduzidos se comparado a uma PF que opera sozinha no mercado devido a grande quantidade de cotistas participantes;
  • No caso de um fundo aberto, existe a vantagem do resgate, negociação ou somente venda das cotas. Dessa maneira, a ação ocorre de forma imediata no mercado secundário;
  • No caso de fundo fechado, caso o cotista precise se desfazer da posição;
  • A diversificação das as aplicações na sua carteira de investimentos. Com o intuito de aumentar a segurança e diminuindo a dependência em apenas uma ou outra ação específica para obter bons resultados.

Existe também outra facilidade dos fundos de ações, relacionado ao pagamento dos impostos de forma simplificada. O Imposto de Renda só necessita ser pago uma única vez, no resgate da sua cota. O valor é de 15% sobre os rendimentos obtidos no período.

Na aplicação direta na bolsa de valores, a apuração do IR é mensal. E é bom lembrar: nessa modalidade, não há o IOF, o imposto sobre operações financeiras.

Fundo de Ações x Comprar Ações

A primeira vantagem de se investir em fundos é que a cota pode obter custos reduzidos se comparados à compra separada de cada ação que compõe o fundo.

A diferença principal entre realizar um investimento em fundos ou comprar ações são as suas responsabilidades e sua atuação como investidor. Quando você compra ações você tem que dedicar toda a atenção e definir exatamente em quais ativos o seu dinheiro deverá ser aplicado.

Já no segundo caso, um gestor profissional é responsável por gerir o seu fundo a partir do momento em que você compra uma cota. Para isso será cobrado uma taxa administrativa e, em algumas situações, uma taxa de performance, caso o fundo supere um índice predefinido, como o Ibovespa.

Ao mesmo tempo, a diversificação é um ponto atrativo do Fundo de Ações. Através dessa estratégia é possível obter ter ganhos mais equilibrados e consistentes.

Possuir um portfólio variado de investimentos cria uma tendência de amenizar possíveis perdas de capital. Eventualmente, essas perdas ocorrem em momentos de quedas no mercado.

Quer saber mais sobre as vantagens e desvantagens de investir em ações? É só clicar nesse link!

Riscos dos fundos de ações e como se proteger

É preciso deixar claro que todo investimento possui riscos. Nesse sentido, o Fundo de Ações não fica de fora. Dentre os riscos existentes, o fundo de ações tem uma a diferença vantajosa. Já que a alocação dos recursos fica a cargo de um gestor profissional que certamente conta um conhecimento muito superior a qualquer iniciante em investimentos.

Uma forma de evitar altos riscos é considerar aplicar uma boa parte dos seus investimentos em renda fixa. Reflita sobre a aplicação em fundos de ações apenas como parte do seu portfólio. Sobretudo, não é interessante colocar “todos os ovos em uma cesta só”.

Risco de mercado

Está relacionado à variação e volatilidade de preços nos ativos a partir de acontecimentos econômicos e políticos.

Ter uma percepção de longo prazo sobre suas aplicações é um ponto chave para aplicar em investimentos bem-sucedidos. Com isso, você diminui suas chances de ficar refém das flutuações do mercado financeiro. Assim, pode raciocinar mais tranquilo antes de tomar suas decisões de investimento.

Risco Legal

Existe também o risco legal que pode ocorrer através de desvios por parte do emissor do ativo. Outra possibilidade é que ocorra uma gestão corrupta das empresas empresas e seu ativo seja desvalorizado.

Para evitar esse risco, é importante priorizar os Fundos de Ações que são emitidos por instituições com credibilidade e consolidadas no mercado financeiro – como a Monetus.

Risco de Liquidez

O risco de Liquidez é a possibilidade do emissor atrasar os prazos de liquidação determinados previamente no regulamento. Para lidar com isso da melhor forma é interessante verificar se o prospecto do investimento está alinhado aos objetivos do investidor.

Como escolher o mais adequado para você

Existem diversas opções para investir nessa modalidade, já que os fundos de ações podem ser classificados de diversas formas. Por isso é muito comum ter dúvidas sobre qual investir, principalmente se você é iniciante. E é ambos os casos, é evidente que você quer dar o melhor destino possível para o seu dinheiro.

A dica de ouro é : “Priorizar fundos com alta nota de rating e bem gerenciados”

Através da análise desses pontos, você vai saber qual é o melhor fundo de investimento em ações ideal. Com isso, vai poder alcançar seus objetivos financeiros.

Vale lembrar que o lucro passado obtido por um fundo não é garantia de lucro futuro. Porém uma análise criteriosa do histórico do fundo é imprescindível para tomar sua decisão. Um fundo com um histórico de alto desempenho e um gerenciamento tem a tendência de continuar apresentando resultados satisfatórios.

Antes de mais nada, é preciso conhecer o seu perfil de investidor. A classificação do Fundo de Ações gira em torno de um risco moderado e agressivo. Por isso, escolha a proporção que será investida em um fundo de ações baseado na sua tolerância a risco.

Outro ponto primordial é definir seu prazo com a aplicação, baseado nos objetivos que você quer atingir. Esse tipo de investimento possui um prazo de liquidez. Em síntese, é definido como o período entre a solicitação do resgate e o repasse dos recursos.

A Monetus é uma gestora de fundos de investimentos que conta com especialistas que fornecem para você indicações dos melhores fundos de investimentos no mercado. Para marcar um horário com um de nossos assessores para ser atendido basta entrar nesse link.

Deixe o seu comentário

Simplicidade, rentabilidade e segurança.

Descubra como é fácil investir com a Monetus.

Comece agora