Os homens mais ricos do Brasil: quem são?

Jose Renato Madureira
                 

Tudo que você precisa saber sobre os homens mais ricos do Brasil

Você já teve a curiosidade de saber quem são os homens mais ricos do Brasil? Onde eles trabalham? O que eles fizeram para chegar ao topo do ranking das pessoas mais ricas do país? Se a sua resposta para essas perguntas foi sim, tenho uma boa notícia para você. Nesse artigo iremos detalhar um pouco da vida de cada um dos 10 homens mais afortunados do Brasil.

Antes de irmos direto para a lista e para a biografia das pessoas mais ricas do país, vamos esclarecer algumas dúvidas que poderiam surgir a medida que você estivesse lendo o artigo. A primeira delas, é quanto à origem da lista e a segunda quanto a metodologia utilizada para determinação do patrimônio de cada um dos homens mais ricos do Brasil. A lista é divulgada anualmente pela Revista Forbes, e também existe uma lista com metodologia similar que é disponibilizada no site da Bloomberg, sendo esta ultima atualizada constantemente.

A terceira e última dúvida que pode lhe vir à mente, “Beleza agora já sei a história dos homens mais ricos do Brasil, mas quem será que são os homens mais ricos do mundo?” para ter essa pergunta respondida é só entrar ler esse outro artigo do nosso blog.

Quanto à metodologia para calculo das fortunas de cada um dos homens mais ricos do Brasil, as duas listas levam em consideração o patrimônio liquido desses milionários. Ou seja, contabilizam todos os seus ativos e passivos, em dólares.

Agora vamos adiantar algumas curiosidades que achamos bastante interessantes enquanto elaborávamos esse artigo. A primeira delas seria que  segundo o relatório da ONG britânica Oxfam, os 5 homens mais ricos do Brasil, têm juntos, um patrimônio equivalente ao dos 50% mais pobres do país. Ou seja os empresários Joseph Safra, Jorge Paulo Lemann,  Marcel Hermann Telles, Eduardo Saverin e Carlos Alberto Sicupira,   têm juntos o mesmo patrimônio que 100 milhões de brasileiros. Outra curiosidade é quanto ao numero de bilionários em dólares no Brasil, atualmente essa lista conta com 58 pessoas. Foram 16 novos bilionários brasileiros de 2018 para 2019,  em contraposição ao movimento de diminuição que vinha tendo nos últimos anos.

Você gostaria de saber o que esses milionários fizeram para chegar ao topo da lista de pessoas mais ricas do nosso pais? Nesse artigo vamos mostrar um pouco da trajetória percorridas por cada um dos 10 homens mais ricos do Brasil. E, as lições que podemos tirar de cada uma das suas biografias para melhorar nossa vida financeira.

Se ao final da leitura ainda lhe restar alguma dúvida ou se tiver uma curiosidade que gostaria de acrescentar, deixe um comentário que eu terei o prazer de responde-lo.

Boa leitura!

 

Lista dos homens mais ricos do Brasil em 2019

Lista dos Homens mais ricos do Brasil

 

# 1º Joseph Safra (31º do mundo)

Joseph Safra - o segundo homem mais rico do Brasil

 

Joseph Safra é um veterano na lista dos homens mais ricos do mundo, mas que pela primeira vez a lidera. Ele nasceu no Libano em 1938, em uma família judaica, e, alguns anos depois viria a ser naturalizado brasileiro. Seu pai, Jacob, de origem síria, havia imigrado para Beirute nos anos 20 aonde fundou o Banco Jacob E. Safra. Algumas décadas depois, nos anos 50, a família imigrou par ao Brasil, foi quando em 1955, Jacob, fundou o Banco Safra.

O Banco viria a ser comandado por seus três filhos Joseph, Edmond e Moise conjuntamente durante muitos anos. Em 1999, Edmond faleceu, e os dois irmãos restantes continuaram a parceira no Banco até 2006, quando Joseph adquiriu a parte de Moise em uma transação estimada em US$ 2 bilhões.

Ao longo de sua vida Joseph Safra diversificou seus negócios em diversos campos, atuando com mais ênfase no mercado de Private Equity, investindo em empresas com potencial para vende-las mais tarde e apurar a valorização delas.

Em 2012, Joseph passou o controle do Banco para seus filhos, Alberto, David e Jaco e passou a dedicar seu tempo no controle do banco suíço Sarasin. Uma das preocupações de Joseph, assim como de seus irmãos, é manter o nome da família Safra ligado à filantropia. Nesse sentido, ao longo de sua vida ele contribuiu e direcionou parte dos seus esforços para diversas entidades que atuam em áreas como assistência social, educação e saude, no Brasil e no exterior.

# 2º Jorge Paulo Lemann (do 35º mundo)

Jorge Paulo Lemann - o homem mais rico do Brasil

 

Jorge Paulo Lemann, nascido no Rio de Janeiro em 26 de agosto de 1939,  é filho de imigrantes suíços o que lhe garantiu a sua dupla cidadania, que lhe veio a calhar já que ele reside atualmente às margens do lago Zurique. Jorge Paulo frequentou durante sua educação básica a Escola Americana do Rio de Janeiro, graduando-se posteriormente em economia na Universidade de Havard em 1961.

Logo após sua formatura ele se mudou para Genebra para estagiar no banco Credit Suisse. Quando voltou para o Brasil ele passou por algumas empresas do ramo financeiro ate que lançou-se à vida de empreendedor em 1971, com a compra da então corretora de valores (que depois viria a se tornar um banco) Garantia. Foi nessa corretora que ele conheceu Marcel Hermman Telles e Carlos Alberto Sicupira, seus dois principais sócios, que lhe acompanharam durante toda sua caminhada de sucesso nos negócios, e que consecutivamente também lhe acompanham nessa lista dos homens mais ricos do Brasil.

Em 1982, quando Jorge já contava com a parceria de Marcel Telles e Beto Sicupira, que comandavam ao seu lado o Garantia, eles foram responsáveis por algumas das mais bem sucedidas investidas no mercado brasileiro nas décadas de 80 e 90. Em 1982, adquiriram as Lojas Americanas à um preço de mercado bem desvalorizado, uma vez que a empresa se pagava tranquilamente ao levar-se em conta os inúmeros imóveis que possuía. Eram tantos imóveis que alguns anos depois,  da cisão dos ativos imobiliários da companhia, surgiu a imobiliária São Carlos.  Em 1989, o trio adquiriu a Brahma, negócio que é responsável pela maior parte da evolução patrimonial dos sócios, a Brahma após a fusão com a Antártica em 1999 se tornou a Ambev. Depois desse momento, chegou a hora de expandir internacionalmente, a Ambev então de fundiu em 2004 com a belga Interbrew (dona da marca Stella Artois) se tornando a InBev, e, em 2008 a InBev adquiriu a Anheuser-Busch (dona da marca Budweiser), mudando seu nome para AB Inbev, se tornando a maior cervejaria do mundo.

Durante esse período de ascensão o grupo foi reorganizando seus investimentos, vendendo algumas companhias enquanto adquiria outros. Nesse sentido o Banco Garantia, onde tudo se originou foi vendido em 1998, e a partir de então os sócios reuniram seus investimentos dentro da holding 3G Capital, que em 2010 adquiriu o Burger King e, mais recentemente, em 2013, adquiriu a Heinz Company.

Uma história um pouco engraçada trata-se da maneira pela qual Jorge Paulo Lemman conheceu e contratou aqueles que viriam a se tornar seus maiores sócios, Marcel Hermann Telles e Carlos Alberto Sicupira. Trataremos dessas histórias mais à frente, por hora basta dizer que desde sempre Jorge via mais valor em habilidades pessoais e comportamentais e para a ambição e vontade de trabalhar do que para um currículo brilhante. E essa é uma característica da forte cultura que acompanhou esses 3 sócios durante toda sua trajetória, a grande valorização das pessoas e a meritocracia.

 

# 3º Marcel Herrmann Telles (138º do mundo)

Marcel Herrmann Telles - o terceiro homem mais rico do Brasil

 

Marcel Herrmann Telles é um dos três sócios da 3G Capital, holding que controla a AB InBev, o Burger King, as Lojas Americanas, a Kraft-Heinz, entre outras companhias. Conforme comentamos quando falamos sobre Jorge Paulo Lemman, a história da formação dessa sociedade é um pouco inusitada.

Marcel nasceu em 1950 no Rio de Janeiro, vindo de uma família de classe média, entrou para a faculdade de economia da UFRJ em 1968. Já na faculdade Marcel reparou que alguns de seus amigos e colegas estavam chegando para a aula em motos bacanas e ternos bem cortados, percebendo isso perguntou a eles o que estavam fazendo, e eles lhe disseram que estavam trabalhando no mercado financeiro. E foi então que Marcel se interessou por trabalhar na área. Como ele próprio diz, ele entrou no mercado financeiro pelas portas do fundo, trabalhando em uma corretora conferindo boleto da bolsa de meia noite às seis da manhã.

Muito resiliente e com um jeito muito lógico de ver as coisas e fazer negócios, Marcel Telles, se tornou algum tempo depois funcionário do então Banco de Investimentos Garantia, cujo dono era Jorge Paulo Lemann. Ele tinha sido indicado por amigos para trabalhar com Luiz Cezar Fernandes, um dos sócios fundadores do Garantia, para trabalhar como liquidante – uma especie de office boy das corretoras pré-informática, encarregado de transportar os títulos e os comprovantes das operações realizadas. Somente após três meses gastando a sola de sapato andando por toda a corretora que foi lhe dado acesso ao cargo de operador de open market, que era a vaga que realmente almejava.

Como eu disse antes, a historia é sobre a entrada de Marcel para a sociedade com Jorge é interessante pois eles estreitaram laços jogando tênis. Marcel visando se aproximar do chefe começou a acompanhar a turma nas partidas de tênis, e foi então que Jorge Paulo reparou em algumas qualidades no jovem operador de mesa do qual já tinha ouvido vários elogios. Nessas partidas a amizade entre os dois cresceu e também a confiança entre eles. Com o tempo, e, devido ao seu alto desempenho, Marcel foi promovido à chefe da mesa de operações e depois foi escolhido para assumir a liderança da Brahma, quando a cervejaria foi adquirida pelo Garantia.

Desse momento em diante, a sua trajetória foi dedicada à construção da companhia através de redução de custos, foco no controle do orçamento, melhoria da operação e meritocracia com valorização das pessoas. Nesse sentido a Brahma sob o seu comando inicialmente, e depois dos seus pupilos sob sua orientação,  passou por uma série de fusões e aquisições até se tornar a maior cervejaria do mundo, a, AB Inbev.

Hoje Marcel, assim como seus dois principais sócios, dedica grande parte do seu tempo à moldar, formar e incentivar talentos e lideranças na nova geração. Atua nesse sentido através principalmente da Fundação Estudar e da Endeavor.

 

# 4º Eduardo Saverin (140º do mundo)

Eduardo Saverin - o quinto homem mais rico do Brasil

 

Eduardo Luiz Saverin é filho de uma rica família judia brasileira, nascido em São Paulo em 1982, mas criado desde 1993 em Miami, Florida, nos EUA. Seu avô Eugênio, fundou uma fabrica de roupas infantis em 1952. Seu pai, Roberto, anos depois expandiria os negócios da família para alem do ramo de vestuários chegando a trabalhar com exportação, transporte e no ramo imobiliário.

Em 1993, motivado pela crise no pais, e pelas medidas tomadas pelo governo Collor, Roberto decidiu migrar com toda a família para os Estados Unidos e realizar o que chamou de sonho de morar em um pais desenvolvido. Lá Eduardo teve acesso a melhor educação que poderia, estudando na Guilliver Preparatory School em Miami até ingressar na Universidade de Harvard para cursar economia.

Em Harvard, ele era membro do Phoenix S.K Club um dos seis seletos clubes masculinos da Universidade, cuja fundação remonta a 1895. Além disso também foi presidente da Associação de Investimentos de Harvard. Nesse período em que ainda era estudante ele se aproveitou de brechas no regulamento sobre inside trading do Brasil e lucrou US$300.000,00 através de investimentos tecnológicos no setor de petróleo.

Saverin em seu primeiro ano em Harvard conheceu Mark Zuckerberg, e ao perceberem a falta de um site de rede social dedicado aos estudantes da universidade, os dois trabalharam juntos para lançar o Facebook em 2004. Como cofundador da empresa Saverin teria realizado o papel de diretor financeiro e gerente de negócios da então startup. Apesar da sua atuação na fundação da empresa, Saverin se afastou da empresa ainda no inicio das operações após conflitos pessoais com seu sócio Mark Zuckerberg, e , foi somente após uma ação judicial movida por ambas as partes que foi lavrado um acordo entra a companhia e o empreendedor.

Neste acordo, Eduardo Saverin foi reconhecido como um dos cofundadores da empresa e recebeu cerca de 5% das ações da companhia, o que é a principal razão para seu nome constar na lista dos homens mais ricos do Brasil.

 

# 5º Carlos Alberto da Veiga Sicupira (162º do mundo)

Carlos Alberto Sicupira - o quarto homem mais ricos do Brasil

 

Carlos Alberto Sicupira, ou somente Beto Sicupira, como prefere ser chamado, nasceu no Rio de Janeiro em 1948. Advindo de uma família de classe média Beto formou-se em Administração de Empresas pela UFRJ e começou a trabalhar em uma corretora no Rio de Janeiro, algum tempo depois ja tinha se tornado sócio.

Em 1973 Sicupira conheceu Jorge Paulo Lemann durante uma pesca submarina. Lemann se impressionou com o fôlego e com a pontaria do recém-conhecido, e o convidou para trabalhar no Banco Garantia. Beto que tinha acabado de voltar de uma temporada em Londres, trabalhando no Marine Midland Bank, topou a oportunidade e passou a trabalhar no Banco. Em 1982, quando o Banco Garantia adquiriu as Lojas Americanas, Beto Sicupira foi escolhido para liderar a companhia, e foi motriz da grande mudança da atuação do trio de ex-banqueiros, ao implementar a gestão meritocrática do Banco na rede varejista e criar uma operação diferenciada e lucrativa.

Beto é descrito por todos à sua volta como um homem franco, sério, rigoroso consigo e com sua equipe e apaixonado por solucionar grandes problemas, ou, como ele gosta de dizer, “bolas meio quadradas”. Ele é um trabalhador árduo, e empreendedor nato, tendo começado seu primeiro negócio ainda com 17 anos, quando criou uma corretora que vendeu pouco mais de um ano depois.

# 6º José João Abdalla Filho (645º do mundo)

José João Abdalla Filho - o sexto homem mais rico do Brasil

 

José João Abdalla Filho, mais conhecido como Juca Abdalla é um banqueiro e politico brasileiro que herdou grande parte da sua fortuna do seu pai, o industrialista J. J. Abdalla. Juca formou-se em economia pela Universidade Mackenzie de São Paulo, e, em 1989, após a morte do pai em 1988, fundou o Banco Clássico.

Existem algumas curiosidades interessantes a respeito do Banco Clássico, a primeira delas talvez seja a sua baixa notoriedade, digo isso porque ouve-se muito pouco a cerca do Banco. No entanto, esta é a consequência de algumas outras peculiaridades. O Banco possui uma única agência, localizada no Rio de Janeiro, que possui 10 funcionários. E, também possui um único correntista, o próprio Juca.

Isso se da porque sua única função é servir de veículo de investimento para ações do bilionário, em especial aos seus negócios relacionados à Bolsa de Valores.

Juca Abdalla é conhecido pela alcunha de bilionário mais discreto do Brasil, ele é tão discreto que, assim como outro membro dessa lista de homens mais ricos do Brasil, Fernando Roberto Moreira Salles, a tarefa de encontrar uma foto sua na internet é bastante árdua.

Apesar de ser um bilionário discreto ele ganhou certa notoriedade na mídia e consecutivamente entre os brasileiros, em dois momentos de sua vida. O primeiro deles foi quando recebeu a maior indenização já paga por desapropriação de imóvel na história do Brasil. Quando recebeu cerca de R$2,5 bilhões do governo paulista pelo terreno de mais de 750 mil metros quadrados, onde hoje está localizado o Parque Villa Lobos, na cidade de São Paulo.

O segundo momento, de notoriedade é a atualidade. Em 2018 Juca tomou algumas decisões importantes e fez alguns investimentos certeiros e bem sucedidos no mercado de ações, o que o fez ser o bilionário com maior evolução patrimonial de 2018. Saindo da 34ª posição no ranking dos homens mais ricos do Brasil em 2018 (com um patrimônio de U$1,4 bilhão), para a 6ª posição em 2019 (com patrimônio estimado em U$3,4 bilhões). Atualmente Juca Abadalla é o maior acionista privado na Cemig, tendo também participação importante em grandes empresas no setor de energia e petróleo, como a Eletrobras e a Petrobras.

# 7º Abílio dos Santos Diniz (715º do mundo)

Abilio Diniz - o décimo homem mais rico do Brasil

 

Abílio Diniz além de estar na lista dos homens mais ricos do Brasil também figura na lista dos homens mais influentes do país. Atualmente ele é Presidente do Conselho de Administração da Península Participações e da BRF, e também membro dos conselhos de administração do Grupo Carrefour e do Carrefour Brasil.

Abilio nasceu em São Paulo em 1936, filho de pai português com mãe brasileira. Estudou Administração de Empresas na Fundação Getúlio Vargas – SP, formando-se em 1956. Ao concluir sua graduação ele recusou uma proposta de pós-graduação na Universidade de Michigan para aceitar a proposta de seu pai de abrirem um supermercado. Em 1959, pai e filho inauguraram então o Supermercado Pão de Açúcar, estava aberta a primeira unidade do que viria a se tornar a maior rede varejista da América Latina, o Grupo Pão de Açúcar.

Em 1965, quando a rede de supermercados já vinha dando certo, Abílio foi para os Estados Unidos para estudar Marketing na Universidade de Ohio, e, depois Economia na Universidade de Columbia. Sem se afastar, no entanto, da operação da rede varejista. Até meados do ano de 2012, Abílio Diniz ainda comandava diretamente o que já era o maior grupo de varejo da América Latina, o Grupo Pão de Açúcar. Em 2013, depois de uma série de desentendimentos com seu sócio Francês que havia assumido a presidência executiva do Grupo, Abílio firmou um acordo com os demais sócios em que deixou o cargo de Presidente do Conselho, converteu suas ações ordinárias do Grupo em ações preferenciais, em troca da liberação da cláusula de não concorrência que lhe impediria de atuar no varejo.

Após esse movimento, Abílio passou a dedicar mais tempo à sua holding de investimentos, a Península Participações, que em 2014 já geria um patrimônio de mais de 10 bilhões de reais, e, também à empresas em que investia diretamente como BRF e Carrefour. Tendo com o tempo passado a ocupar cargos importantes dentro do Conselho de Administração das duas companhias.

Uma curiosidade sobre Abílio, é que alem de ser um homem dedicado aos negócios ele também é fanático pela prática esportiva. Ele começou a prática regular de esportes ainda aos 11 anos, quando fez aulas de defesa pessoal para se proteger de alguns colegas que zombavam dele por o considerarem baixinho, gordinho e impopular. Nessa época aprendeu judô, boxe e capoeira, fez musculação e levantamento de peso. Já adulto Abílio se dedicou a pratica de outros esportes como corrida, maratona e futebol. Ainda hoje aos 82 anos ele pratica alguma atividade física todos os dias pela manhã.

 

# 8º Fernando Roberto Moreira Salles (715º do mundo)

Fernando Moreira Salles - o sétimo homem mais rico do Brasil

 

Nascido no Rio de Janeiro, em 1946, Fernando Roberto Moreira Salles e filho de Walter Moreira Salles e sua primeira esposa, Helène Matarazzo. O império familiar que ele e seus irmãos herdaram inciou-se com seu avô, em Poços de Caldas-MG, coma a fundação da Casa Bancária Moreira Salles. Mas foi seu pai Walther que realmente transformou o que era um comércio local no Unibanco, um gigante banco privado brasileiro.

Fernando talvez seja o mais discreto dos quatro herdeiros, pouco se sabe da sua biografia. Com uma rápida pesquisa no Google você poderá constatar que ele, ao contrário de outros bilionários, ele não possui uma página no Wikipedia, por exemplo.

No entanto algumas informações conhecidas sobre ele são interessantes. Ele se formou em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, e juntamente com o irmão Pedro são os únicos dos herdeiros da família que atuam diretamente nos negócios do grupo. Fernando já trabalhou tanto na CBMM (Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração) quanto no Itaú Unibanco, como diretor, presidente e membro do conselho de administração dessa companhias.

Além disso, Fernando também é escritor e tem 3 livros publicados pela editora Companhia das Letras, na qual ele tem participação acionária. Seus livros são sobre poesia e reflexões, o nome das suas obras são “A Chave do Mar”, “Ser Longe”e “Habite-se”.

9º João Moreira Salles (715º do mundo)

João Moreira Salles - o oitavo homem mais rico do Brasil

 

João Moreira Salles nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 1966, e, a exemplo de seu irmão Walter, dedicou-se ao cinema ao invés de trilhar o caminho tradicional e entrar para os negócios da família.  Seu primeiro trabalho foi em 1985, quando ele fez o roteiro para a série”Japão, uma Viagem no Tempo” que foi exibida na extinta TV Manchete.

Em 1987, ele e seu irmão Walter fundaram a produtora Videofilmes para realizar documentários para televisão, no entanto, a produtora acabou por ter um papel importante na retomada do cinema brasileiro, produzindo diversos filmes.

Ao longo dos anos João já atuou como roteirista, produtor e diretor campanhas de publicidade e documentários, tendo sido premiado por seus trabalhos tanto no Brasil quanto em países como Itália, Cuba e França.

Além de ser um grande patrocinador das artes no Brasil, fazendo doações para diversos museus, ele também é conhecido por incentivar a pesquisa e a educação. Como exemplo, em 2017 ele e sua esposa Branca Moreira Salles doaram R$350.000,00 para o primeiro instituto privado dedicado ao fomento de pesquisa e divulgação científica do Brasil, o Serrapilheira.

 

# 10º Pedro Moreira Salles (715º do mundo)

Pedro Moreira Salles - o sexto homem mais rico do Brasil

 

Pedro Moreira Salles nasceu em Washington em 1959, quando seu pai Walther Moreira Salles era o Embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Pedro, assim como seus irmãos é herdeiro da grande fortuna da família que fundou o Unibanco. Fortuna essa, que garantiu aos quatro irmãos a entrada na lista dos homens mais ricos do Brasil.

Ele se graduou em Economia e História pela Universidade da Califórnia,  em Los Angeles. Após isso, iniciou um mestrado em Relações Internacionais na Universidade de Yale, o qual não concluiu, e participou do Owners/President Management Program da Universidade de Harvard.

Voltou para o Brasil em 1982, quando começou a atuar nos negócios da família. Em 83 assumiu a administração da Cambuhy Agrícola empresa do ramo agropecuário, aonde ficou até 85. Em 86, junto com seu irmão Fernando Moreira Salles, passou a administrar a holding da família. Em 89 passou a integrar o Conselho de Administração do Unibanco, o qual presidiu de 97 a 2004, quando assumiu a presidência do banco, posição que manteve até a fusão com o Itaú em 2008. Na nova companhia, o Itaú Unibanco, Pedro tornou-se o presidente do Conselho de Administração, cargo que mantém até hoje.

Atualmente é presidente do Conselho de Administração do Itaú Unibanco Holding, sócio e co-presidente da Cambuhy Investimentos, membro do Conselho de  Administração da Falconi e conselheiro da TOTVS. Além disso, Pedro é membro do Conselho Orientador da Fundação Osesp e membro do Conselho Deliberativo do INSPER.

 

(BÔNUS) – Resolvemos acrescentar a biografia do 4º herdeiro da Família Moreira Salles, já que ele está tecnicamente empatado com seus irmãos quando o assunto é a estimativa de seus patrimônios.

# 11º Walter Moreira Salles Júnior (715º do mundo)

João Moreira Salles - o oitavo homem mais rico do Brasil

 

Walter Moreira Salles Júnior, herdou do seu pai não só seu nome, mas também uma fortuna advinda dos negócios no ramo bancário, com o Unibanco, e no ramo de extração mineral com a CBMM (líder mundial em extração e distribuição de nióbio). Apesar do histórico familiar voltado à negócios tradicionais e também da formação em economia pela PUC-RJ, Walter se dedicou ao ramo da arte, fundando, nos anos de 1980, em conjunto com seu irmão a produtora VideoFilmes.

A produtora que foi criada com a intenção de elaborar e produzir documentários para a TV, viria a ter um importante papel na retomada do cinema nacional, produzindo longa-metragens e filmes relevantes à época.

Ao longo de sua carreira Walter Salles produziu e dirigiu diversos filmes premiados, inclusive Central do Brasil, que concorreu ao Academy Awards. Atualmente ele  é o segundo cineasta mais rico do mundo, ficando atrás somente de George Lucas. Uma curiosidade interessante à esse respeito é que os dois cineastas mais ricos do mundo frequentaram a Universidade da Califórnia do Sul nos EUA. George se formou em cinema, enquanto Walter viria a se formar em sua segunda graduação, comunicação audiovisual.

 

 

 

Lições aprendidas com os homens mais ricos do Brasil

 

Lições aprendidas com a história dos homens mais ricos do Brasil

Se você leu com atenção a historia de cada um dos homens mais ricos do Brasil, você deve ter percebido alguns pontos coincidentes. Não que exista uma regra, uma receita de bolo, para chegar lá, longe disso. Mas acredito fortemente que existe um conjunto de melhores práticas que podemos levar de lição, e aplicarmos nas nossas próprias vidas.

# 1° Invista em você primeiro

Uma coisa que me chamou a atenção ao estudar a história dos homens mais ricos do Brasil e do mundo foi que a maioria deles, não importando a origem, se mais ricos ou mais pobres, em algum momento da sua vida dedicaram-se aos estudos. Esses estudos podem vir de maneira formal, através de faculdade, mestrado, pós graduação, no Brasil ou no estrangeiro, ou ainda, de maneiras informais, e, nesse aspecto a tecnologia hoje trabalha a nosso favor.

Temos diversas canais no YouTube que tem conteúdo de qualidade e nos ensinam sobre os mais diversos assuntos (inclusive o nosso aonde falamos sobre educação financeira e investimentos). Temos blogs que escrevem artigos como este. Temos as mais diversas formas de disponibilização de livros na internet. Temos podcasts de qualidade, pagos e gratuitos. Enfim, disponibilidade de informação é o que não falta hoje em dia, cabe a nós o trabalho de verificar a qualidade e veracidade da informação a qual temos acesso e nos dedicarmos a criar e seguir uma rotina de estudos que nos permita aprender mais sobre os assuntos que gostamos e achamos essenciais para nosso sucesso.

# 2° Tenha espírito empreendedor

Quando digo, “tenha espírito empreendedor” não quero dizer que você necessariamente deve abrir seu próprio negócio para enriquecer. Na lista dos homens mais ricos do Brasil, e, também na do mundo, existem diversos casos de executivos bem sucedidos, pessoas que trabalharam anos em sua vida como funcionários até que chegassem a posições de sócio ou ganhassem grandes bônus sob produtividade.

O espírito empreendedor ao qual me refiro é à vontade de trabalhar e de mudar a realidade em que atua. É ser feliz fazendo o que faz, e se preocupar sempre com os resultados que você entrega, com o retorno que a empresa que você trabalha tem dos seus esforços, e com a satisfação do seu cliente. Da pra resumir bem o que é o espirito empreendedor com uma frase de um dos integrantes dessa lista, Beto Sicupira disse em uma entrevista à Revista Época Negócios, quando perguntado sobre se já tinha vivido o dilema entre ser funcionário e patrão: “Nunca tive esse dilema. Mesmo nos momentos em que tinha patrão, eu achava que era dono do que estava fazendo.”.

# 3° Faça seu dinheiro trabalhar por você

Todos os homens mais ricos do Brasil tem uma coisa em comum, eles sempre que podem fazem seu dinheiro trabalhar por eles. Tanto aqueles que herdaram suas fortunas, quanto aqueles que realmente tiveram que trabalhar para chegar aonde chegaram, constituíram em algum momento uma holding através da qual gerenciam seus investimentos, eles próprios ou terceiros contratados para isso.

O que isso nos ensina é que, nosso dinheiro deve estar sempre aplicado para que nos gerem rendimentos. Um dos nossos objetivos se queremos enriquecer, deve ser poupar uma parte da nossa renda e aplica-la mês a mês em um investimento adequado ao nosso perfil, e ao nosso planejamento. Esses investimentos, mesmo que em pequena escala em um primeiro momento, com a atuação do juros composto e do tempo, nos garantirá um futuro mais tranquilo e com melhor qualidade de vida.

Nesse sentido, nós da Monetus estamos sempre a disposição para te ajudar a escolher os melhores investimentos e os mais adequados ao seu perfil e seu objetivo, você pode agendar uma reunião com um de nossos assessores financeiros através desse link. E ainda, caso você ainda não seja nosso cliente, mas queira começar a investir melhor, a gente também pode lhe ajudar. É só abrir uma conta com a gente, o processo é simples, rápido, gratuito e 100% digital. Aproveite e abra sua conta agora mesmo!

 

 

Deixe o seu comentário

Simplicidade, rentabilidade e segurança.

Descubra como é fácil investir com a Monetus.

Comece agora