Fechar
Icone para fechar banner

E aí, qual é o seu sonho?

Novo apartamento, viagem pelo mundo, ou seu primeiro milhão Converse com um de nossos consultores financeiros e descubra como conquistar seu sonho!

Como dividir o salário? Veja 5 modelos de orçamento pessoal!

Ana Lydia
           

Como você divide a sua renda líquida mensal? Com ajuda de modelos de orçamento pessoal é possível manter um bom controle financeiro!

Quando falamos em poupar, investir e realizar sonhos, muita gente acredita que é necessário muito dinheiro para isso. Mas se trata de um mito!

Para alcançar tudo isso, um hábito simples como ter seu orçamento bem definido e organizado pode te ajudar.

Além disso, muita gente também acredita que ter as finanças organizadas é difícil. E esse é um outro mito sobre a organização financeira!

Por isso, juntamos neste artigo todas as informações e dicas sobre orçamento pessoal para organizar o seu agora e sem dificuldades. Vamos lá?

O que é um orçamento pessoal?

Orçamento pessoal é uma ferramenta feita para ajudar a organizar as finanças de um determinado período. Seja semanal, mensal, trimestral, semestral, anual, entre muitas outras possibilidades.

Cada orçamento tem a sua particularidade, e essas características dependem da necessidade de quem utiliza.

Com isso, é indicado que ele seja preenchido com as receitas e despesas desse período, além de investimentos e saldos. Isso irá trazer controle financeiro e até mesmo economia, facilitando a visualização das finanças, do dinheiro que entra e do que sai.

Para isso, é necessário que esse orçamento seja feito de forma simples e objetiva, sempre se atentando às receitas e despesas corretas. Dessa forma, você terá um planejamento financeiro que pode te trazer benefícios que você não imaginava.

5 modelos de orçamento pessoal para começar agora

Os formatos de orçamento pessoal podem variar muito! Por isso, separamos os 5 principais e mais conhecidos para te ajudar a escolher:

Método ABCD

O método ABCD é um formato bastante intuitivo, e a sigla é bem simples entender. Com isso, suas finanças ficam divididas em quatro grupos:

A – Alimentação: mercado, feira, padaria, e outros gastos com alimentação.
B – Básicos: aqui entram os gastos indispensáveis, como aluguel, condomínio, luz, água, gás, prestação da casa, entre outros.
C – Conforto: tudo relacionado ao seu conforto e da sua família, como TV por assinatura, plano de celular etc.
D – Dispensáveis: qualquer coisa que você pode cortar de imediato, como coisas que você não utiliza ou quase não utiliza e acaba sendo pago. Anuidade de cartão, academia que você não frequenta, aquele serviço por assinatura que não dá tempo de assistir, entre muitos outros.

Método 50-30-20

Enquanto o ABCD divide seu orçamento por categorias, o 50-30-20 faz essa divisão por porcentagem. Dessa forma:

  • 50% do seu ganho é reservado para gastos essenciais. Os gastos essenciais englobam também tudo que é indispensável, como aluguel, saúde, alimentação, educação, luz, água, transporte e etc.
  • 30% é reservado para gastos supérfluos, como serviços de streaming, gastos relacionados a lazer, entre outros.
  • 20% para o pagamento de dívidas ou investimentos. Caso você tenha dívidas no seu nome, esses 20% deve ser destinado para quitá-las. Já se você não possui, essa porcentagem deve ser investida como reserva de emergência e oportunidades.

Esse é um dos modelos mais conhecidos e mais usados de orçamento pessoal.

Método 60-20-10-10

Assim como o método anterior, o modelo 60-20-10-10 também divide os gastos em porcentagens.

  • 60% dos seus ganhos devem ser destinados as necessidades básicas;
  • 20% podem ser gastos de forma livre;
  • 10% são destinados aos objetivos de longo prazo e na poupança;
  • 10% restantes são utilizados para diversificar a sua carteira de investimentos.

Esse modelo é ideal para quem busca espaço para investir de forma diversificada ao mesmo tempo em que cria uma reserva de emergência.

Método 50-15-35

Assim como nos dois anteriores, neste método a tendência é também dividir seus gastos mensais em porcentagens:

  • 50% vão para os gastos básicos, tudo que envolve o essencial, como aluguel, condomínio, educação, alimentação, entre outros;
  • 15% para as prioridades financeiras, como quitar dívidas, construir uma reserva de emergência e diversificar os investimentos;
  • 35% para estilo de vida, os gastos mais supérfluos como hobbies, uma ida ao restaurante, um passeio, e compras diversas.

Método dos 6 envelopes

Esse método é ideal para quem lida com dinheiro vivo na hora de pagar as contas e gastar durante o mês.

Com esse formato, é necessário dividir o seu dinheiro em 6 envelopes categorizado com os seus gastos.

Por exemplo, envelope para aluguel e contas da casa, envelope para compras de mercado, envelope para lazer, envelope para contas fixas do cartão de crédito e etc.

A categoria dos envelopes pode mudar de acordo com as suas necessidades. Mas esse modelo impede que você saia de casa com todo o seu dinheiro na carteira e acabe gastando mais do que o necessário, além de também ajudar a visualizar melhor os seus gastos.

Como fazer um orçamento pessoal de forma simples

Para começar a fazer o seu orçamento pessoal de forma simples, você pode seguir esses cinco passos:

Coloque todos os valores na ponta do lápis

A parte mais importante é colocar todos os valores do seu orçamento na ponta do lápis. Comece pela receita, tudo que você recebe em um mês. Depois passe para os gastos, todos eles.

Isso vai facilitar sua visualização e análise mais tarde.

Analise os seus gastos

Na parte da análise, não tenha medo de confrontar os seus gastos e fazer as perguntas certas para você mesmo.

Existe algum gasto que pode ser cortado? Existe algum gasto supérfluo, que não vai fazer falta?

E principalmente: você está gastando menos do que recebe? Se a resposta for não, é hora de mudar.

Defina metas

É importante definir metas para saber onde quer chegar. As metas serão o seu combustível, o objetivo é o seu destino, e a ferramenta será o seu meio de transporte.

Porém, é importante que a sua meta seja SMART: específica, mensurável, alcançável e com tempo determinado!

Nada de metas vagas como “economizar dinheiro”. Aposte em metas bem claras e objetivas, como “economizar 10 mil reais em 2 anos”. Assim você sabe exatamente o quanto juntar por mês para alcançar.

Escolha um formato de orçamento pessoal

Falamos sobre os métodos de orçamento pessoal no tópico anterior. Agora é a hora de escolher aquele que mais se encaixa nas suas finanças.

Cada método desse consiste em dividir os seus gastos em gastos básicos e essenciais, supérfluos, economias e investimentos. Dessa forma, fica mais fácil dividir os gastos e economizar.

É importante pesquisar os métodos de orçamento pessoal existentes e escolher aquele que mais se adapta a você. Com isso, você garante que terá um bom resultado com o passar dos meses.

Escolha uma ferramenta para se organizar

Após todos esses passos, é hora de escolher uma ferramenta para fazer a organização do orçamento ao longo do tempo.

Essa ferramenta será a melhor amiga da sua vida financeira, portanto, é importante escolher com sabedoria.

Dentre as principais opções, podemos citar:

É importante que sua ferramenta seja de simples acesso, para que você possa carregar com você ou lembrar sempre de manter atualizado.

Vantagens de um orçamento pessoal organizado

Ter um orçamento pessoal organizado pode te trazer inúmeros benefícios, tanto para sua vida pessoal quanto profissional. Dentre eles, podemos citar:

Liberdade e segurança financeira

Alcançar a liberdade financeira é possível quando você consegue enxergar de forma mais clara as suas finanças.

Ter o controle das entradas e saídas do seu orçamento pode te ajudar a entender quais gastos podem ser economizados, quais podem ser cortados, e onde o extra pode ser investido.

Dessa forma, você pode ficar cada vez mais próximo da sua liberdade financeira.

Além disso, ter essa visão clara dos gastos e recebimentos pode te ajudar a economizar mais, te preparando para imprevistos.

O conserto no chuveiro, a troca emergencial de pneus, um gasto urgente no médico, tudo isso não terá mais o poder de te tirar o sono, pois você estará preparado.

Realização de sonhos

Todos temos sonhos, aqueles que têm o poder de nos fazer sorrir apenas pensando na realização.

Seja um carro novo, a casa própria, uma viagem incrível, uma mudança de país… Tudo é possível quando você sabe exatamente o que fazer, quanto economizar e como investir para acontecer.

Essa visão clara de realização pode ser proporcionada por um orçamento pessoal bem definido e organizado. Dessa forma, vale a pena investir seu tempo nessa organização.

Aumento na qualidade de vida

Com o orçamento pessoal bem organizado, você consegue entender o que pode ser feito para melhorar o seu gasto mensal.

Dessa forma, pode remanejar seu dinheiro de forma inteligente, economizando em algumas áreas, cortando gastos desnecessários e investindo mais em você.

Um curso novo, uma roupa nova, uma viagem… Tudo isso contribui para sua saúde mental e a sua qualidade de vida.

E convenhamos: não tem nada melhor pra mente do que entender que você está preparado para qualquer imprevisto financeiro que apareça!

Afinal, por que um orçamento pessoal organizado é tão importante?

Você já deve ter percebido que ter um orçamento pessoal organizado pode trazer benefícios inacreditáveis, não é?

Além disso, não há nenhuma desvantagem em começar a organizar as finanças. Apenas é necessário fazer disso um hábito para manter as contas em dia, além de disciplina para seguir o plano do orçamento.

Por isso, nunca se esqueça dos pontos positivos desse processo. Mesmo quando se necessita de um pouco de disciplina, sua vida pode realmente mudar.

Deixe o seu comentário

Simplicidade, rentabilidade e segurança.

Descubra como é fácil investir com a Monetus.

Comece agora
[newsletter_banner_html]