Planejamento financeiro: por que controlar suas finanças pessoais?

Jose Renato Madureira
           

É válido ressaltar logo no inicio deste artigo qual a importância de se fazer um planejamento financeiro: através de um bom planejamento conseguimos estruturar uma estratégia de acumulo de capital que nos garantirá com tranquilidade a manutenção de nossa qualidade de vida ao longo de toda nossa vida.

Fica fácil entender a relevância de um planejamento financeiro quando percebemos que nosso salário é uma solução de curto prazo para um problema que teremos pelo resto de nossas vidas, a necessidade de termos dinheiro. Já que, é praticamente impossível viver e manter nossa qualidade de vida sem que isso envolva gastar algum dinheiro.

Nesse artigo iremos explicar tudo o que você precisa saber para criar um planejamento financeiro completo, abordando desde controle orçamentário e quitação de dívidas até alocação correta de ativos de investimento visando alcançar todos os seus objetivos.

Espero que você aproveite a leitura e, para além de somente ler, aplique as dicas e conceitos que apresentamos nesse artigo para otimizar a sua vida financeira. Caso ao final da leitura lhe reste alguma dúvida, sinta-se a vontade para comentar no artigo que eu terei o maior prazer em lhe responder.

Boa leitura!

O que é um planejamento financeiro?

Podemos definir o termo planejamento financeiro pessoal como um conjunto de medidas estruturadas e pensadas para maximizar a potencialidade do seu dinheiro ao longo da sua vida. Nesse sentido, podemos dizer que o planejamento financeiro, tal como qualquer planejamento começa da análise profunda da situação tal como ela está no presente, para após isso identificar eventuais gargalos e pontos de melhoria, e então estruturar-se um plano de ação para guiar nossas atividades financeiras ao longo da vida, garantindo com mais tranquilidade que alcancemos todos nossos objetivos.

Esses objetivos tendem a ser divididos entre dois espectros diametralmente opostos. Temos aqueles mais generalistas, como por exemplo melhorar a nossa vida financeira, ou, alcançar a independência financeira. E, temos também, os mais específicos como trocar o carro no final do ano, ou ainda, viajar para determinada cidade ou país nas próximas férias.

O planejamento financeiro ideal cobrirá desde o controle orçamentário das despesas do seu dia-a-dia, passando pela definição clara dos seus objetivos de curto, médio e longo prazo, até chegar na otimização da alocação do seu capital. É necessário dizer que para essa ultima parte, é essencial definir também seu perfil de investidor. Já que montar uma carteira de investimentos envolve buscar as maiores rentabilidades possíveis dentro da sua tolerância a risco, é essencial sabermos se você é um investidor conservador, moderado ou agressivo.

O mais importante no planejamento financeiro é entender que você tem o poder de decidir hoje como será vida financeira no futuro. E, com isso em mente, traçar um plano realista e manter o foco para executa-lo.

Por que o planejamento financeiro pessoal é de suma importância?

Infelizmente no Brasil, não valorizamos devidamente esse aspecto extremamente importante da vida de todos, as finanças pessoais. Essa cultura que valoriza pouco assuntos relacionados à finanças se reflete claramente em duas realidades do Brasil. A primeira é que, em geral, não se ensina nada sobre educação financeira nas escolas para as crianças e jovens. E, a segunda, é que normalmente as famílias brasileiras têm poucas discussões a respeito de dinheiro e orçamento familiar.

Essas duas realidades associadas acabam por gerar um cenário em que as novas gerações chegam ao mercado de trabalho, e começam a ganhar dinheiro sem o conhecimento necessário para estabelecer desde o início um bom planejamento e controle da sua vida financeira.

E infelizmente essa é uma realidade, e não somente uma impressão geral. No ranking divulgado pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), em 2016, o Brasil alcançou a 27º posição em Educação Financeira entre os 30 países avaliados.

Contudo, ter controle financeiro e um planejamento orçamentário familiar e pessoal é essencial para garantirmos a tranquilidade e o conforto de todos que dependem de nós. Momentos como o que vivemos, em que se discute uma reforma da previdência social, percebemos como é importante nosso protagonismo em tomar conta da nossa própria vida financeira.

Não é atoa que muitas pessoas tem procurado mais informação sobre educação financeira, e, até mesmo estejam contratando especialistas para lhes ajudar a tomar as melhores decisões financeiras. Contratar um especialista, pode ser uma boa estratégia para muitos, já que dessa maneira você terceiriza a responsabilidade para alguém com know-how (conhecimento) específico para aquela tarefa.

Vantagens de fazer um planejamento financeiro

Você já deve ter percebido a importância de se fazer um planejamento financeiro pessoal e completo. E provavelmente compreendeu que a decisão de se planejar financeiramente lhe acompanhará pelo resto de sua vida. Mas isso não implica necessariamente em abrir mão do conforto e da sua qualidade de vida no presente. É só uma questão de equilibrar seu orçamento de maneira a suprir suas demandas atuais e futuras.

E isso não é tão complexo como pode parecer. Só é necessário seguir 3 passos básicos. Análise completa da sua situação atual, elaboração do planejamento, controle e monitoramento regular. Entendendo bem a situação em que você se encontra e sabendo onde você deseja chegar, você pode traçar a melhor estratégia para o seu caso em específico.

Depois da estratégia básica traçada, é essencial mantermos o foco e a disciplina para alcançarmos nossos propósitos. E foi por isso que deixei bem claro o terceiro passo do planejamento, monitoramento e controle regular. É essencial que mantenhamos uma rotina de checagem do nosso planejamento. Só assim conseguiremos identificar se estamos no caminho certo ou não.

Já percebemos que realizar um bom planejamento é algo que nos tomará algum tempo, e, também demandará dedicação. Contudo, posso afirmar que vale a pena. E, afirmo isso pois um amplo planejamento financeiro trará diversos benefícios para sua vida. Dentre eles estão:

Evita o endividamento

O resultado de uma população com pouca educação financeira fica claro ao vermos dados como a existência de 63,4 milhões de endividados no Brasil “(dados do SPC em agosto de 2018).  Nesse sentindo é essencial deixar claro que dívidas devem ser evitadas, pois os juros praticados no Brasil são bastante abusivos.

Vale ressaltar que dívida não é somente a tomada de crédito direto no banco, através de financiamentos ou empréstimos. Alias, dois exemplos bastante comuns e que também envolvem altas taxas de juros são: quando você paga somente o valor mínimo da fatura de cartão de crédito ou quando utiliza o limite do cheque especial.

Para se ter uma idéia, estamos falando nesses dois últimos casos, em taxas médias de 275% para o cartão de crédito e de 305% para o cheque especial. Diante desses fatos fica claro que, ao nos planejarmos financeiramente, um primeiro cuidado que temos que ter é controlar nossos gastos para caberem dentro de nossas receitas. De maneira que reduzamos ao máximo a probabilidade de contrairmos dívidas.

Caso você já tenha alguma dívida, esta deve ser analisada com cuidado. Na maioria dos casos você perceberá que a quitação da sua dívida deverá ser elencada como prioridade. E, para tanto, seu planejamento deverá incluir um passo-a-passo que lhe permita poupar uma quantia suficiente para antecipar parcelas da dívida contraída.

Controla seu orçamento

O planejamento financeiro implica no controle das suas finanças pessoais. Isso implica necessariamente em melhorar a gestão do seu orçamento pessoal. Dessa forma ao aplicar-se conceitos de educação financeira no seu dia a dia, e na sua realidade concreta conseguimos melhorar a relação entre suas receitas e despesas.

Para isso é necessário que você antecipe seus gastos, estimando-os previamente e categorizando-os. Esse exercício de prever seus gastos e estabelecer médias esperadas, permite que você tenha uma base comparativa e evite gastos desnecessários.

Ao entender exatamente quanto você gasta em média por categoria de gastos, fica mais fácil perceber quando acontecer algum gasto irregular. Além de que, ao termos a estrutura de planejamento completa, entendemos que poupar hoje significa alcançar um objetivo no futuro. E essa consciência nos faz, ainda que involuntariamente, querer poupar mais e aumenta nosso controle financeiro.

Podemos dizer que ao estruturarmos e monitoramos nosso orçamento melhoramos nossa vida financeira em dois aspectos. O primeiro seria manter as nossas despesas sob controle. E o segundo é cortar eventuais gargalos em nossas despesas, já que facilita a identificar e consecutivamente cortar os gastos desnecessários.

Gera um histórico de como seu dinheiro foi gasto

Quando você não tem um bom controle de seus orçamentos é comum ter a sensação de que seu dinheiro sumiu. Esse sentimento é bastante mitigado quando se tem um planejamento financeiro. Já que para que se faça um bom planejamento é necessário que todos os gastos sejam devidamente registrados.

É exatamente esse registro recorrente e continuo dos gastos que permite identificarmos e evitarmos os gastos desnecessários. É claro que para isso precisamos ficar atentos ao que podemos fazer para melhorar nossa vida financeira.

Como fazer um planejamento financeiro?

Agora que já identificamos as vantagens de se fazer um planejamento financeiro, vamos ensina-lo a fazer o seu planejamento. Neste tópico vamos detalhar um passo-a-passo, contendo tudo aquilo que você precisa fazer para construir seu planejamento pessoal. Então vamos la:

1º passo: Diagnóstico inicial

O primeiro passo é a analise do seu ponto de partida inicial. É essencial para que suas próximas decisões do planejamento financeiro sejam as mais assertivas possíveis termos uma boa noção de qual é sua realidade atual. Para isso é necessário  que se faça um esforço no sentido de levantar qual é sua receita, bruta e liquida, e quais são suas despesas. Vale ressaltar que para as despesas é recomendável categoriza-las em gêneros amplos, como por exemplo: alimentação, transporte, moradia.

Recomendo que você tente levantar esses dados com o maior grau de precisão que você conseguir. Se possível olhe extrato bancário, contra cheque, ultimas contas pagas, enfim tudo que conseguir. Digo isso pois, quanto maior for o embasamento desse diagnóstico, mais próximo da sua realidade o planejamento estará. E, termos as médias de receitas e de gastos estruturadas mais próximas à realidade nos fará projetar um planejamento mais adequado ao seu cotidiano.

2º passo: Defina seus objetivos

Como qualquer outro planejamento, é essencial para seu planejamento financeiro que seja definido objetivos claros e metrificáveis. Além da clareza da meta e do objetivo estipulado, é essencial também que estes sejam realistas. Com isso, quero dizer que é necessário pensar em objetivos possíveis de serem alcançados e realizados. Já que, caso contrário, a tendência é que ao invés de servir como um norte, o objetivo inalcançável te desestimule a seguir o planejamento. Portanto, recomendo que você reflita bem quais são suas prioridades para o planejamento, mantendo os pés no chão.

Outro fator de grande importância quando falamos da definição de objetivos são os prazos. Visando realizar um planejamento amplo é ideal que consigamos definir objetivos para todos os horizontes de tempo. Um planejamento completo abarca objetivos de curto, médio e longo prazo. Sendo curto prazo objetivos com prazos inferiores à 1 ano. Médio prazo, objetivos que se realizarão entre 1 e 5 anos. E, longo prazo, objetivos para um horizonte de tempo posteriores à 5 anos.

Buscando ser o mais claro possível, deixei aqui embaixo um exemplo de como você pode registrar isso em uma planilha. Espero que o exemplo lhe ajude a compreender o que foi dito nesse tópico.

Planilha exemplo: como definir objetivos no planejamento financeiro pessoal

3º passo: Registre suas receitas e despesas

Depois de executar os dois primeiros passos nós ja temos definidos o seu ponto inicial, e o seus objetivos futuros. Com isso bem definido, passamos para o próximo passo: monitorar sua vida financeira no dia-a-dia. Para isso, recomendo que você utilize um aplicativo ou uma planilha de excel.

Vale frisar mais uma vez a necessidade do foco e da disciplina nessa etapa do seu planejamento. Para um planejamento mais assertivo, é necessário que seja registrado todos os ganhos e gastos, por menores que sejam. O ideal, é que você faça o registro diariamente, para minimizar a probabilidade de se esquecer algo.

Além disso, ao realizarmos o registro diariamente ganhamos maior controle sobre nossa vida financeira. Com isso conseguimos facilitar a execução do próximo passo, uma vez que fica mais fácil identificar os gastos supérfluos. Vamos então para o 4º passo.

4º passo: Poupe seu dinheiro

Como já disse no ultimo passo, tudo que você fez nos primeiros passos lhe ajudará a poupar mais dinheiro. Digo isso pois, com os primeiros passos bem realizados você já ganhou uma certa maturidade financeira que é essencial para o habito de poupar.

A noção clara de quanto você ganha e gasta em média por mês, associado ao monitoramento continuo do seu orçamento e ao fator de ter objetivos claros pelos quais poupar, tenderá a facilitar que você adquira esse hábito. Hábito esse de suma importância para conquistarmos a vida financeira que desejamos. Afinal, é como diz o ditado popular “Você não fica rico com o que ganha por mês, fica rico com o que consegue poupar.”

O fato de poupar implica em gastar menos do que ganhamos, o que claramente significa que diminuímos a probabilidade de nos endividarmos. Só esse fato isoladamente já é de grande mérito, mas além disso ter um capital poupado nos permite ir além. Permite que coloquemos nosso dinheiro para trabalhar por nós, ao investirmos nosso capital ganhamos rendimentos que aumentam nosso patrimônio mês a mês.

Nesse ponto pode surgir a seguinte dúvida: onde investir? Quais as melhores aplicações para cada um dos meus objetivos? E esse é exatamente o assunto que vamos tratar no próximo e ultimo passo.

5º passo: Invista seu excedente financeiro

Chamamos de excedente financeiro todo aquele dinheiro que conseguimos poupar mês a mês. E é essencial darmos uma boa alocação para cada centavo que poupamos. Afinal, sabemos o trabalho que tivemos para ganhar e poupar esse dinheiro, então nada mais justo que agora que poupamos o dinheiro trabalhe um pouco por nós também. Correto?

Neste sentido, é válido ressaltar que para cada objetivo e prazo que traçamos no 2º passo, temos ativos financeiros mais adequados. Além do tipo e prazo do objetivo, devemos também levar em consideração nesse momento, qual é o nosso perfil de investidor. Como já dito no inicio desse artigo, temos investidores mais conservadores, mais moderados e mais agressivos. Para cada uma das combinações de objetivo, prazo e perfil teremos como resultado uma composição diferente de carteira de investimentos.

Agora que você já sabe que é necessário levar em conta tudo isso para definir um investimento com relação entre risco e retorno mais adequada para você, temos dois caminhos a seguir. O primeiro é o caminho mais que lhe tomara mais tempo, é estudar e buscar montar a melhor estratégia você mesmo. Para isso você conta nesse artigo alguns livros sobre educação financeira bastante interessantes para começar.

O segundo caminho é buscar os fundos de investimento, e as gestoras como a Monetus. Com isso você terceiriza a responsabilidade da alocação dos seu capital para pessoas especializadas nesse assunto. E, como um diferencial do mercado, na plataforma da Monetus você conseguirá criar uma estratégia especifica para cada um dos seus objetivos, e nomea-lo de acordo com seu planejamento. Vale a pena entrar e conferir nossa plataforma, o cadastro é totalmente gratuito, rápido e 100% digital. Vou deixar o link de cadastro aqui, caso você queira criar uma conta conosco.

Conclusão

Ter um planejamento financeiro bem feito e próximo à nossa realidade deveria ser uma obrigação para todos nós. Mas infelizmente a nossa cultura brasileira ainda não dá o devido valor à educação financeira. Com isso, é natural que não tenhamos o hábito de controlar nossa vida financeira como gostaríamos. Esse post teve por objetivo lhe dar um passo a passo simples com o qual você possa buscar realizar seu planejamento pessoal, sozinho e de forma autônoma.

No entanto, é natural que algumas pessoas sintam dificuldade em realizar o planejamento sozinho. Afinal, o planejamento financeiro bem feito requer a criação de não só um, mas sim de diversos hábitos. E criar hábitos e uma rotina para buscar uma vida financeira mais saudável  sozinho pode ser praticamente impossível.

Nesse sentindo temos aqui na Monetus uma equipe especializada em realizar e acompanhar o Planejamento Financeiro de nossos clientes. Já temos diversos casos de sucesso com clientes de todos os cantos do país e nas mais diversas situações. A intenção do nosso serviço de planejamento financeiro é atuar junto aos nossos clientes como um personal trainer de academia, mas voltado à sua vida financeira.

Um personal trainer busca instruir seus clientes e acompanha-los em seus exercícios físicos para que estes tenham um melhor resultado. Nesse sentindo, no planejamento financeiro nós realizamos cada um dos 5 passos com você. E ainda lhes acompanhamos, mês a mês para garantir que você alcance cada um dos seus objetivos.

Além disso tudo, o serviço abarca 12 meses de acompanhamento. Nesse período, de acordo com a demanda do cliente, também podemos ter aulas e discussões a cerca de investimentos e educação financeira. Caso você tenha interesse em entender mais como funciona esse serviço pode agendar um horário com um de nossos planejadores através desse link.

Deixe o seu comentário

Simplicidade, rentabilidade e segurança.

Descubra como é fácil investir com a Monetus.

Comece agora
Fechar
Fechar

Junte-se a mais de 60.000 pessoas

Receba grátis o melhor conteúdo sobre investimentos.

Fique tranquilo, não enviamos spam e você pode deixar de receber quando quiser.