SELIC, IPCA e Juro Real

Entenda por que a queda da Selic não é ruim para seus investimentos

Por Leonardo Bighi

A discussão sobre a queda da taxa de juros na economia brasileira está quentíssima, e quem seríamos nós se não conversássemos com vocês sobre isso? Em uma LIVE do dia 09 de Agosto, nosso CEO Daniel Calonge explicou de forma bem simples as dúvidas mais frequentes do investidor brasileiro sobre essa questão. E aí, como ficam os seus investimentos com a queda da Selic?

A queda da taxa de juros no Brasil

Ultimamente, tem muita gente perguntando como ficam os investimentos com a queda da Selic¹?

Então, vamos entender primeiro, para que serve a taxa de juros?

Fazendo uma analogia, a taxa Selic é  como se fosse a mãe da inflação. Se o filho começa a tirar muita onda, vem a mãe e corta as asinhas do filho. No nosso dia a dia, se a inflação começa a subir demais, a taxa de juros (Selic) é o que consegue controlar a inflação. Quando a taxa de juros aumenta, aumenta o custo do dinheiro, fazendo com que a maioria das pessoas tendam a gastar menos e a pedir menos empréstimos. Existe uma relação muito estreita entre estas duas vvariáveis.

Juros nada mais é do que o custo do dinheiro no tempo.

Taxa de Juros - Selic

 

Imagine a seguinte situação: você quer  fazer alguma compra na semana que vem que não é fundamental, como uma bola de futebol de R$ 100,00 por exemplo.

Aí, chega uma pessoa e te oferece 100% de retorno se você comprar daqui a 2 semanas. Se você não tem pressa daquele produto, você pode esperar as 2 semanas, comprar sua bola de futebol e ainda manter seu dinheiro, com os 100% de retorno oferecido.

É isso que a taxa de juros faz. Quando a taxa de juros está muito alta, o que o governo quer sinalizar?

“Poupem!” –  “Vale a pena não gastar agora.” – “Espere um pouquinho.”

O governo tenta controlar a inflação aumentando a taxa de juros. Com uma taxa de juros alta, as pessoas têm uma tendência menor de comprar. Além disso, para quem for comprar via empréstimo, a taxa de juros faz com que este empréstimo fique mais caro, o que faz com que as pessoas comprem menos.

Quando a inflação cai – a taxa de juros tem que cair senão a economia esfria como um todo.

Está todo mundo vendo a quantidade de imóvel para alugar, desemprego recorde no Brasil, já dando espaço para uma queda na taxa de juros e é por isso que ela está caindo.

O que é a inflação e como ela afeta seus investimentos?

Saímos de uma inflação de 10,71% em Janeiro de 2016 que vem caindo e chegou a 3,39% em Agosto de 2017.

Inflação - IPCA

Vamos usar um exemplo simples para entender o que é a inflação:

Em um ano que você tem uma inflação de 10,71%, na média, algo que você comprava a R$100,00 no final do ano você vai comprar a R$110,71.

Em um ano que a inflação é de 3,39%, algo que você comprava no ano passado por R$100,00 agora você vai comprar a R$103,39.

E o que os juros interferem nisso?

Vamos pensar que você tem R$100,00 aplicados a 14,25% de juros – seus R$100,00 vão virar R$114,25 depois de um ano.

Se você aplica a 9,25% – seus R$100,00 vão virar R$109,25.

E é por isso que as pessoas falam que a taxa de juros caindo é pior, ao invés de ganhar R$114,25 agora vou ganhar só R$109,25.

Só que isso é apenas um pedaço da história! Não importa qual o tamanho da taxa de juros, o que importa é o quanto a gente aumenta o nosso poder de compra, que basicamente é: a taxa de juros menos a inflação.
<align=center>

Taxa de Juros (SELIC) – Inflação (IPCA²) = PODER DE COMPRA

Taxa de Juros Real no Brasil

Com uma taxa de juros de 14,25% e uma inflação anual de 10,71% – seu ganho real foi de 3,20%.

Juro Real

Seus R$100,00 viraram R$114,25, mas sua bola de futebol agora custa R$110,71. Então você aumentou o seu poder de compra em pouco mais de R$3,00.

Já com uma taxa de juros de 9,25% e uma inflação de 3,39%, você aumentou seu poder de compra em 5,67% –  o que é muito melhor do que no primeiro cenário.

A taxa de juros engana um pouco a gente. Ela é uma análise rápida, mas temos que olhar o aumento em poder de compra.  Não adianta ter 1 milhão de reais e não conseguir comprar nada com isso. O que a gente quer é que nosso dinheiro aumente o nosso poder de compra.

Não adianta a taxa de juros ser altíssima se a inflação também estiver altíssima. Esse cenário agora é muito mais interessante do que o cenário de janeiro de 2016.

Quando olhamos a curva da taxa de juros sempre caindo e a curva da inflação (IPCA) sempre caindo, observamos a taxa de juro real³ – que sobe e cai ligeiramente, mas com um resultado muito melhor do que Janeiro de 2016, quando tínhamos uma taxa de juros a 14,25%.

Agora podemos concluir que a queda da taxa Selic avaliada isoladamente não é suficiente para indicar uma melhora ou piora nos nossos investimentos, é a inflação que vai determinar se a queda ou aumento da taxa Selic vai garantir um ganho real ou não.  O melhor indicativo para avaliarmos o poder de compra e o crescimento do nosso patrimônio são os juros reais dos investimentos.

Ficou mais claro? Você pode saber mais sobre juros reais e como eles afetam a sua decisão de investir neste post aqui: O que são juros reais e como eles afetam a decisão de investir.

SelicIPCAJuro Real

¹SELIC – Sistema Especial de Liquidação e Custódia. A Taxa Selic é a taxa básica de juros da economia no Brasil.

²IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo. Considerado o índice oficial de inflação do país. É medido mensalmente pelo IBGE e foi criado com o objetivo de oferecer a variação dos preços no comércio para o público final.

³Juro Real – É a taxa de juros nominal descontada a inflação. (Ex: % Taxa de Juros Selic – % Inflação IPCA).

 

Acreditamos que investir é para todos.

Categorias: