Taxa Selic: O que é, e como ela influencia seu investimento?

João Vitor dos Santos
           

Taxa Selic, talvez esse seja um dos termos mais citados quando falamos sobre aplicações financeiras. Tenho certeza que em algum momento da sua vida você já ouviu falar dela. Mas você sabe o que é essa taxa? Aqui nós vamos te explicar sem economês e sem enrolação, tudo sobre o assunto, abordando os principais tópicos referentes ao assunto e tirando todas suas dúvidas. Veja aqui:

– O que é a Taxa Selic?

– Qual a Taxa Selic hoje?

– Como funciona e como é definida a Selic?

– Como a Taxa Selic influencia meus investimentos?

– Taxa Selic e inflação

– Como ter rendimentos maiores que a Selic?

O que é a Taxa Selic?

O termo Selic significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia. De forma rápida e resumida, a Taxa Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ou seja, quando você lê ou escuta em algum lugar que taxa de juros no Brasil aumentou ou diminuiu, é dela que estamos falando.

Qual a Taxa Selic hoje?

A Taxa Selic hoje está em 6,50% ao ano. É possível verificar seu valor, bem como outras informações no site do BACEN (Banco Central do Brasil).

Como funciona e como é definida a Selic?

Saindo da definição simplista do que é a Selic, temos um instrumento importante que devemos entender para saber como se dá o seu funcionamento e como ela é definida.

As instituições financeiras no Brasil são obrigadas a manter parte do dinheiro que possuem depositados em uma conta do Banco Central. A essas reservas se dá o nome de depósitos compulsórios, outra expressão que você também já deve ter ouvido falar, mas que poderia não fazer ideia do que significava.

Como uma instituição financeira realiza inúmeras operações de crédito, é recorrente e comum que falte dinheiro ao final de um dia para honrar seu compromisso com o BACEN. Neste momento, as instituições financeiras recorrem a empréstimos de outras instituições. A média ponderada dos juros cobrados nessas operações se dá o nome de Selic over, índice diário.

Para definir a Taxa Selic, a forma a qual conhecemos e é divulgada nos meios de comunicação, a cada 45 dias o COPOM (Comitê de Política Monetária) se reúne com a missão de determinar os rumos da taxa de juros.

Nesses encontros são analisados diversos fatores, como: inflação, taxa de câmbio, projeções de crescimento, dentre outros fatores, que compõem a deliberação do comitê sobre a taxa de juros. A taxa definida pelo COPOM, dá-se o nome de Selic meta. E é nela que se baseiam os juros cobrados nas operações de crédito diária realizadas entre as instituições financeiras citadas acima.

Como a Taxa Selic influencia seus investimentos?

Por ser a taxa de juros básica da economia brasileira, a Selic determina o rendimento de muitas aplicações financeiras. Ou seja, qualquer mudança na taxa acaba impactando diretamente os produtos financeiros que a utilizam como referência.

É muito importante que se observe o contexto econômico antes de realizar investimentos e não somente Taxa Selic.

Para tal, aqui indico o Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central toda segunda feira, ele é uma ferramenta de suma importância para acompanhar as projeções do mercado a respeito de taxa de juros, inflação, projeções de crescimento, taxa de câmbio e outras medidas. Vale a pena conferir.

Abaixo nós vamos conferir como a Selic pode afetar alguns tipos de aplicação.

Títulos Públicos

Há uma grande variedade de títulos públicos disponíveis para o investidor atualmente, muitos deles estão atrelados diretamente a Taxa Selic, os mais conhecidos são os títulos do Tesouro Selic (LFT).

Sua interação com a taxa de juros básica é direta, a Selic aumenta, sua remuneração aumenta, sendo a recíproca válida.

Caderneta de Poupança

A poupança ainda é a aplicação financeira mais popular no país. Sua remuneração pode ocorrer de duas maneiras diferentes, sendo elas:

A taxa referencial é uma taxa de juros como o próprio nome diz, de referência. Utilizada em alguns tipos de aplicação financeira como títulos do tesouro, caderneta de poupança e alguns financiamentos imobiliários. Em geral, não costuma ser alta, chegando a ser zero durante muitos períodos, fato que ajuda a explicar o baixo rendimento da aplicação.

CDI

CDI ou certificado de depósito interbancário é a taxa cobrada pelas instituições financeiras quando elas realizam operações de crédito entre si. Essas operações são realizadas em prazos curtos(24h), como já havíamos mencionado acima quando tratamos das reservas dos bancos junto ao BACEN.

Os valores do CDI sempre estão próximos da Taxa Selic. Isso ocorre pelo simples fato que o valor do CDI nada mais é do que a média dos juros cobrados nessas operações de curto prazo realizadas entre os bancos.

Taxa Selic e inflação

É aqui que se verifica um dos maiores instrumentos da taxa básica de juros, a ajuda no controle da inflação. Quando há em uma economia um aumento da taxa de inflação, ou seja, um aumento na quantidade de moeda em circulação, o COPOM pode acabar subindo a taxa de juros a fim de conter este movimento.

Eu explico melhor, ao se elevar a Selic fica mais caro tomar dinheiro emprestado, logo, menos pessoas vão se dispor a tomar empréstimos e irão preferir não utilizar seu capital imediatamente, para usufruir de melhores remunerações em aplicações financeiras, que terão seus rendimentos majorados pelo aumento da Selic. Tal medida desestimula o consumo, ou seja, reduz a moeda em circulação e, favorece o controle da inflação.

O movimento contrário também é esperado. Quando a inflação está em queda, ou, estagnada em um patamar baixo, uma redução da Selic favorece empréstimos, uma vez que o crédito ficará mais “barato”, servindo de estímulo para o consumo.

Como ter rendimentos maiores que a Selic?

Vimos acima que a Selic e o CDI caminham lado a lado, logo, para conseguir rendimentos superiores à Selic, devemos procurar aplicações que rendam mais de 100% do CDI. Abaixo vamos ver algumas opções que podem proporcionar esse rendimento.

Investindo em Renda Fixa

Como podemos observar ao longo do texto, a Selic é o principal indexador de remuneração das aplicações financeiras de renda fixa no Brasil. Em um cenário de taxa de juros estável, e tendo no horizonte a possível reforma da previdência, é normal que os juros venham a cair, de acordo com as projeções do Ministério da Economia.

Sendo assim, os produtos mencionados sofrerão os impactos desse movimento. A seguir vamos falar especificamente sobre alguns tipos de aplicação renda fixa.

CDB

Provavelmente você já deve ter ouvido falar nessa aplicação, o CDB ou, certificado de depósito bancário é um produto que os bancos costumam oferecer com muita frequência aos seus clientes. A captação dos recursos através do CDB serve como uma das principais fontes de empréstimos de um banco.

Em geral, o rendimento dessas aplicações não costuma superar o CDI. A dica aqui é procurar os CDBs de bancos menores, eles costumam oferecer remunerações bem mais atraentes que as verificadas nos principais bancos.

Por serem instituições menores, oferecem melhores rendimentos justamente para atrair mais clientes. Outro ponto importante de ser ressaltado nesse contexto é a análise do índice Basiléia. Através desse índice, é possível medir a solvência de determinada instituição financeira, nos fornecendo informação sobre sua capacidade de honrar os compromissos assumidos.

Entende-se por esse índice a relação entre o patrimônio da instituição financeira e o valor de seus ativos ponderados pelo seu risco. É uma boa maneira de entender a saúde financeira do banco em que estamos colocando nosso dinheiro. O BACEN determina que no Brasil essa proporção seja de no mínimo 11%.

LCI e LCA

As letras de crédito imobiliário (LCI) e as letras de crédito agropecuário (LCA), são como o próprio nome diz, letras de crédito cuja captação de recursos é direcionada para os setores mencionados.

Nessas aplicações financeiras, além da destinação do dinheiro ser diferente do CDB, ocorre isenção de imposto de renda. Por essa característica, essa aplicação pode se tornar uma boa opção quando comparado ao CDB.

A dica de procurar por produtos em bancos pequenos segue válida para os LCIs e LCAs.

Fundos de Investimento

Nessa modalidade de aplicação financeira, os investidores compram cotas de um fundo de investimento que aplica o dinheiro em renda variável, mais especificamente no mercado financeiro.

Esses fundos são geridos por profissionais que buscam sempre a maximização dos ganhos dos cotistas, tendo a capacidade de gerar melhores rendimentos quando comparados aos produtos acima.

Achou interessante o assunto de fundo de investimento? Quer mais informações? Nosso artigo sobre o assunto pode tirar todas suas dúvidas. Confira!

Investindo além da renda fixa

Quando o assunto são aplicações financeiras, há uma máxima que muitos já devem ter ouvido, “Quanto maior o risco, maior o retorno”. De fato, essa frase está correta, mas é bom salientar que o retorno em muitos casos também pode vir em forma de prejuízo, e é nesse contexto de riscos que vamos falar no principal produto de renda variável.

Ações (Bolsa de Valores)

O Brasil bateu recorde de investidores que atuam na bolsa de valores em 2019, chegando a próximo de 1 milhão de pessoas. Cada vez mais as pessoas estão se mostrando dispostas a assumir os riscos que estas aplicações trazem, em busca de melhores rendimentos.

A Selic atua de maneira indireta sobre o mercado de ações, e, o raciocínio é análogo ao feito em relação à inflação. Com juros baixos, tomar dinheiro emprestado fica mais barato, fazendo com que empresas possam vir a usufruir disso, a fim de maximizar seus ganhos, fazendo investimento, contratando mais pessoas e, consequentemente podendo gerar uma situação onde seus papéis se valorizem.

Do mesmo modo que, com juros altos, é mais caro tomar dinheiro emprestado para fazer investimentos, o que pode estagnar planos de crescimento das empresas.

Se interessou sobre o assunto da bolsa de valores e tem vontade de saber como investir? Nosso post sobre o assunto tira todas suas dúvidas!

Parabéns por ter chegado até o final do texto, posso lhe assegurar que você já possui um bom conhecimento sobre o assunto. Ficou com alguma dúvida? Poste nos comentários. Nós teremos o maior prazer em lhe responder. Outra opção é agendar uma conversa com nossos assessores financeiros, estamos a sua disposição para lhe informar e ajudar a cuidar melhor dos seus investimentos.

 

 

Deixe o seu comentário

Simplicidade, rentabilidade e segurança.

Descubra como é fácil investir com a Monetus.

Comece agora