Quais os tipos de financiamento mais comuns para pessoas físicas?

Vitor Tito

As alternativas de financiamento estão ficando cada vez mais comuns no dia a dia do brasileiro que, apesar da crise, encontra nessa opção melhores taxas que as praticadas pelas ofertas de empréstimo.

Antes de optar por um financiamento, porém, é fundamental estudar bem os juros e os meios de quitação da dívida.

Foi pensando nisso que separamos aqui três alternativas populares de financiamentos para você aprender mais e evitar cair em armadilhas.

Financiamento de automóveis

O financiamento de automóveis funciona em duas modalidades: O CDC e o Leasing.

O CDC atua de maneira tradicional: Você solicita o financiamento, o banco compra o carro e ele fica no seu nome, gerando aí o acordo de pagamento.

Já o Leasing acontece de maneira distinta: nessa modalidade você solicita o financiamento, mas o carro permanece no nome do banco até que você conclua o pagamento de todas as parcelas.

A maior diferença é que o leasing geralmente oferece taxas menos agressivas, e acaba saindo mais barato para o comprador. Mas atenção: é preciso fazer uma simulação de ambas as opções em diferentes bancos antes de optar por uma solução definitiva.

Financiamento imobiliário

O financiamento imobiliário pode ser buscado tanto para imóveis novos quanto os usados, além de servir também para a aquisição de lotes, ou término de construção e reforma.

O seu maior diferencial está no longo prazo que pode ser acordado para o pagamento. Essa solução é muito procurada no Brasil, e geralmente é feita pela Caixa Econômica Federal, por meio de programas como o Minha Casa, Minha Vida (para casas populares).

Além do tradicional financiamento pelo banco, é possível também negociar diretamente com as construtoras. Não só isso, o trabalhador pode recorrer ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para a quitação dos valores do financiamento imobiliário.

Financiamento estudantil

Quando o assunto é financiamento estudantil, o FIES é o primeiro nome que vem à mente. Esse programa do Governo Federal tem uma das menores taxas de juros do mercado (6,5% ao ano) e, por isso, é bastante visado pelos estudantes.

Infelizmente as vagas são limitadas e não é todo mundo que consegue se classificar para as exigências do programa. Nesse caso, é recomendado buscar uma negociação com a própria faculdade: é muito comum haver a oferta de bolsas para alunos que consigam se destacar ou atendam a alguns critérios pré-estabelecidos.

Mas, caso isso não seja possível, o financiamento privado é uma alternativa à qual você pode recorrer.

Ele funciona de maneira semelhante ao empréstimo: você contrata o serviço e recebe dinheiro o suficiente para pagar as mensalidades da faculdade, com a obrigação de, ao final do curso, devolver o valor pago com a adição dos juros e taxas necessárias.

Claro que existem várias outras modalidades no mercado, mas estas costumam estar dentre as mais buscadas todos os dias pelos brasileiros. Pensando em conseguir um financiamento? Considere antes organizar melhor as suas finanças. Quem sabe assim você não consegue evitar novas dívidas?

Simplicidade, rentabilidade e segurança.

Descubra como é fácil investir com a Monetus.

Comece agora

Deixe o seu comentário