Tudo que você precisa saber antes de contratar um plano de previdência na Caixa

João Vitor dos Santos

Um plano de previdência privada tem como principal intenção compor a renda das pessoas no momento da aposentadoria, e juntamente com os rendimentos auferidos no sistema tradicional(INSS) é possível que se tenha uma vida mais confortável no momento da vida onde não se pretende exercer atividade laboral. Entretanto, é possível que se utilize planos de previdência privada com outras finalidades como: reserva de valor para projetos futuros ou planejamento familiar.

A contratação de um plano de previdência privada na Caixa Econômica pode ser feito de duas maneiras: o contratante pode ir até uma das agências da Caixa ou pode utilizar o Web Chat do banco para proceder com a contratação.

Ocorre no banco estatal a divisão dos planos em duas modalidades distintas, sendo elas: os planos ditos individuais onde não há a necessidade do contratante em ser correntista do banco, porém há a necessidade de aportes superiores a R$1.000 reais e os planos ditos conjugados, onde há a necessidade do contratante em ser correntista do banco, pois os aportes são feitos através da conta corrente ou poupança do cliente e no processo de contratação vem seguros embutidos, por causa destas coberturas que estes planos são conhecidos como conjugados.

A primeira decisão que uma pessoa se depara ao contratar uma previdência privada deve ser: qual modalidade eu devo investir?

Ao se investir em previdência privada há a possibilidade de escolha dentre dois modelos, o PGBL(Plano Gerador de Benefício Líquido) e o VGBL(Vida Gerador de Benefício Líquido).

O PGBL é um produto indicado para pessoas que fazem a declaração anual do IR em seu modelo completo, pois através dele é possível que se abata até 12% da renda anual tributável do indivíduo. Em um rápido exemplo, a pessoa que possui uma renda anual de R$100 mil reais poderia investir até R$12 mil em um PGBL que pagaria imposto sobre o montante de R$88 mil reais.

Já no VGBL não é permitido que se faça abates do IR nos aportes feitos ao plano, é a modalidade que se adequa melhor a pessoas que fazem a declaração simplificada do IR ou que são isentas da declaração, neste modelo a tributação irá incidir somente sobre os rendimentos do plano e não sobre o total acumulado, então a decisão sobre qual modelo colocar seu dinheiro passa pelo perfil do investidor e por uma “estratégia tributária” que possa vir a ser adotada.

Agora que já sabemos como fazer para contratar os planos de previdência privada da Caixa e como eles se diferenciam, vamos detalhar como eles funcionam, desde seus modelos de tributação, passando pelas taxas implícitas aos planos até as remunerações.

Tributação incidente em planos de previdência privada

Nos planos de previdência privada independente de qual seja o banco onde se contratou o serviço, ocorre tributação, e elas são divididas em:

Tributação regressiva

A tabela de tributação regressiva é aquela onde o valor da alíquota de IR vai diminuindo de acordo com o tempo, como se observa na tabela abaixo:

Até 2 anos 35%
Entre 2 e 4 anos 30%
Entre 4 e 6 anos 25%
Entre 6 e 8 anos 20%
Entre 8 e 10 anos 15%
Acima de 10 anos 10%

Observa-se que esse modelo de tributação é punitivo para períodos curtos e se torna atraente quando comparado a outros produtos financeiros em períodos mais longos, sobretudo em períodos superiores a 10 anos.

Tributação progressiva

A outra forma de tributação é a progressiva, modelo já conhecido da maioria das pessoas, pois, é a mesma de quem declara o imposto de renda. Nessa modalidade, o que determina a alíquota é o valor a ser resgatado como se observa na tabela abaixo:

Até R$1.903,98 Isento
Entre R$1.903,99 e R$2.826,65 7,5%
Entre R$2.826,66 e R$3.751,05 15%
Entre R$ 3.751,06 e R$ 4.664,68 22,5%
Acima de R$4.664,68 27,5%

Para quem quer ter uma renda mensal inferior a R$ 2.826,66, a tributação progressiva é uma ótima opção em relação a outros investimentos.

Taxa de administração

Em se tratando de taxas, essas sim diferem entre bancos e é fundamental ao contratante de um plano de previdência privada a pesquisa para a obtenção das melhores condições que maximizem o aproveitamento do seu capital.

As taxas de administração nos planos de previdência privada da Caixa variam de 0,3% a 3%, elas alteram de acordo com fundo o qual o capital será aplicado e podem ser verificados através do link.

Taxas de Carregamento

Já em relação às taxas de carregamento  que são porcentagens descontadas ao realizar aportes(Entrada) ou retirar capital (Saída) do plano, ocorre uma redução na porcentagem que incide sobre os valores conforme o tempo de aplicação. Atualmente na Caixa não há cobrança de taxa de entrada, entretanto, contribuintes mais antigos podem ainda ter essa cobrança em seus planos. A cobrança de taxa de saída ocorre e segue a tabela abaixo.

Tempo de permanência Contribuição Até R$1.000,00 Contribuição acima de R$1.000,00
Até 1 ano 5,00% 1,50%
De 1 a 2 anos 3,00% 1,00%
De 2 a 3 anos 1,50% 0,50%
A partir de 3 anos Não há cobrança de taxa

Remuneração

As remunerações dos fundos de previdência privada da Caixa são variados e estão basicamente divididos em: fundos que aplicam em Renda Fixa, fundos Multimercado com renda variável, Fundos de Crédito Privado e Fundos atrelados a índices de preços. No acumulado dos últimos 12 meses os fundos de renda fixa tiveram um rendimento médio de 5,96%. Já nos fundos Multimercado, o rendimento acumulado dos últimos 12 meses foi de 8,46%, de 5,82% nos fundos de Crédito Privado e 7% nos de Índice de preço. Importante ressaltar que as pessoas que realizam aportes maiores conseguem melhores remunerações, dificilmente um investidor que faz aportes de baixo valor terá acesso a boas remunerações.

Vamos analisar a simulação feita para os fundos de renda fixa:

Através dela podemos observar no gráfico acima a simulação do Portfólio de Renda Fixa da Caixa e o rendimento do CDI a partir da data de início do último fundo de renda fixa da Caixa. O rendimento médio do portfólio da Caixa em nenhum momento analisado conseguiu superar o CDI, evidenciando o baixo rendimento dos fundos. Outro dado que chama muito a atenção é a rentabilidade relativa dos fundos de renda fixa em relação ao CDI, há casos em que o fundo chegou a render 51% do CDI para o período analisado e em nenhum momento chegou a 100%.

Observe essa situação real: ao se fazer contato via Web Chat para contratação de um plano de previdência da Caixa, sem ao menos verificar o perfil do contratante, um plano nada atraente já é oferecido. O plano de nome PREV RENDA, no valor de R$35 reais, no qual está incluso o valor de R$15 reais referente a um seguro oferecido pelo banco. Ou seja, a pessoa ao escolher o valor mínimo de 35 reais acaba incorporando mensalmente ao seu plano de previdência privada o valor de R$ 20 reais, que representa aproximadamente 53% do total que a pessoa se propôs a realizar por mês.

Produtos oferecidos junto com a Previdência Privada

Dentro do tema de incorporação de outros tipos de seguros dentro da previdência privada, o banco federal oferece algumas opções como: em aplicações do tipo VGBL há a oferta de seguros voltados especificamente para mulheres em que as mesmas possuem algumas vantagens, como “prêmio” de R$50 mil reais em caso de gravidez natural de gêmeos ou mais filhos, ou ainda consultas anuais em ginecologista com realização de exame específico.

É importante notar aqui que nenhuma dessas benesses sai de graça, e se você tiver interesse em algum tipo seguro, saiba que o valor sempre será cobrado de alguma maneira.

Conclusão

Podemos observar que os planos de previdência privada da Caixa não oferecem bons rendimentos na maioria das situações, a situação fica um pouco melhor nos fundos multimercado, entretanto, os mesmos estão suscetíveis as oscilações do mercado. Além disso se observa que as melhores remunerações ocorrem quando se consegue aportes mais altos, ou seja, o cliente que não contribui com valores mais elevados acaba auferindo remunerações mais baixas, além de taxas de administração e saída bastante elevadas. Outro ponto que chama atenção é a quantidade de produtos que são oferecidos juntamente com os planos, como seguros, que possuem as mais variadas finalidades e sempre acabam inflando o preço final do plano e não gera rendimento.

Nesse compasso, nós da Monetus temos mais a oferecer. Centramos nossas decisões no tripé: TRANSPARÊNCIA, onde você investidor sabe exatamente o valor do seu investimento, sem pegadinha de seguro e outras mais; obediência ao seu PERFIL, direcionamos o que melhor se adeque a ele e RENTABILIDADE no sentido de buscarmos sempre as melhores opções disponíveis no mercado visando otimizar o seu patrimônio, uma vez que, no fundo o que você investidor busca é rentabilidade e segurança, e nós da Monetus estamos preparados para lhe oferecer as melhores opções para a gestão do seu patrimônio.

Simplicidade, rentabilidade e segurança.

Descubra como é fácil investir com a Monetus.

Comece agora

Deixe o seu comentário